terça-feira, 4 de outubro de 2011

O salsão e a sopa de letrinhas

Por esses dias eu estava passeando pelo supermercado...sim, passeando.
Adoro chegar perto das coisas que eu não conheço e começar a admirar, a cheirar, a imaginar o que fazer com aquilo.
Por aqui pela França, eu vejo varias frutas e legumes que eu nunca vi em Recife. E não tenho a menor ideia do gosto que eles tem e do que fazer com eles.
Com alguns eu já me familiarizei. Como lichia, framboesa, amora, marmelo, mirtilos, figos, damascos, marrons, alho-poró, berinjela, rúcula, tomilho, cogumelo, espinafre, rabanete....muitos já fazem parte da minha alimentação quotidiana.
Mas alguns eu nunca tive coragem de comprar. Minha lista: Funcho, salsão, cerefólio, endívias, aspargos, tupinambo, chirivia, nabo, alcachofra, entre outros. Mas como eu sou uma pessoa curiosa e sei que o paladar muda com o tempo, então eu estou tentando me acostumar com alguns alimentos, e tentando descobrir o sabor de outros.

No meu passeio pelo supermercado, me aproximei de um grande salsão. Ele piscou pra mim e me convidou para eu me aproximar. Cheguei perto, toquei nas folhas, senti o cheiro dele...Sabe aquelas nuvens de historia em quadrinhos que aparecem para representar uma lembrança ou um pensamento? Pois eu entrei numa nuvem daquelas...

Eu era pequena e estávamos (eu, minha mãe, irmã, tias e avó) na casa da minha avó. Era carnaval, passamos o dia na rua - Olinda há 15 anos atrás, quem conhece sabe!!!! - e chegamos em casa para jantar. Jantar de carnaval é a coisa mais simples do mundo! Macarrão com salsicha, cachorro-quente, sopa de letrinhas (será que isso ainda existe????)...nada de gastronomia sofisticada. Nesse dia o jantar era sopa de letrinhas. Daquelas em pozinho, que a gente dissolve na água, e que tem massinhas em forma de letrinhas. Lembro que a sopa de letrinhas aparecia na nossa cozinha de vez em quando, muitas vezes a meu pedido. Eu adorava! Essa tal de sopa de letrinhas tinha um cheiro tão bom...não era cheiro de nada conhecido, como cenoura, batata ou pimentão. Era algo mágico, forte, marcante, mas esse cheiro não tinha sido, até então, repertoriado pela minha memória olfativa.

Até semana passada! Eu reconheci na hora o cheio da sopa de letrinhas quando eu me aproximei do salsão! Adivinha o resultado? Levei pra casa! E ele já virou sopa! Pena que eu não tenha macarrão em forma de letrinhas. Mas não tem problema, ele é gostoso e cheiroso assim mesmo.
Aproveitei e levei um bulbo de funcho que estava do lado, só para dizer que eu provei!

Olha a sopa aqui:


Para umas 5 porções:
3 batatas
1 bulbo de funcho (rico em fibras, vitaminas A, C, ácido fólico e potássio)
4 talos de salsão (rico em minerais e em fibras)
talos de 2 brócolis (um dos mais ricos em vitamina C) (as flores eu guardei para uma outra receita)
1 cebola cortada
2 dentes de alho
1 colher de sopa de azeite
2 cubos de caldo de galinha (sem gordura)
200g de queijo de cabra fresco (pode-se usar requeijão)
água, o quanto baste

Cortar todos os legumes em pedaços grandes. Começar refogando a cebola no azeite até dourar. Acrescentar os dois dentes de alho amassados e deixar dourar mais um pouco. Juntar os legumes, os dois cubos de caldo de galinha, cobrir com água fervente e deixar cozinhar uns 30 minutos até que os legumes fiquem bem macios. Juntar o queijo de cabra fresco e bater no liquidificador ou no mixer até ficar homogêneo.
Eu coloquei parmesão ralado por cima...mas, francamente, nem precisa!

O funcho tem um leve sabor de anis. Não sou muito fã, mas como estava misturado com outros ingredientes, ele ficou meio disfarçado. Não sei se comprarei de novo.
Mas o salsão... ai, o salsão! Ele não vai faltar mais nunca nas minhas sopas. E o melhor, ele também é delicioso em saladas! O talo dele é crocante, saboroso, não precisa colocar molho nem sal nem nada! Purinho ele é bom!
A sopa ficou deliciosa, vitaminada, nutritiva e perfumada!

Em breve, outras receitas com salsão! =)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...