domingo, 24 de junho de 2012

Risoto de charque com requeijão

Faz tempo que eu queria comer um risoto de charque, sertanejo, com a charque bem desfiadinha. O problema é que aqui não tem charque e nada pode substituí-la. Acabei esperando um tempão para matar essa vontade, que finalmente pode ser realizada, quando minha mãe trouxe 2 pacotes da dita cuja na mala.

A ideia é fazer o risoto com a charque desfiadinha. E para isso, deve-se deixá-la algum tempo na panela de pressão, depois de dessalgada. Como eu não tenho panela de pressão, fiz na panela normal, usei o fogo bem baixinho e deixei umas 2 horas cozinhando. O resultado foi excelente! A carne bem cozidinha, macia, soltando os fios. Aproveitei o caldo de cozimento (bem temperado) para usar no risoto, e ainda me sobrou para usar depois.



Para a charque e o caldo de charque, eu usei:
500g de charque
2L de água
1 cebola
3 cravos
alho-poró (somente a parte verde, que eu sempre tenho congelada, depois do uso da parte branca)
folhas de salsão
2 dentes de alho

Para o risoto:
150g de arroz arbóreo
100mL de vinho branco
caldo de charque (feito como acima)
(o total de líquidos caldo+vinho deve ser de mais ou menos 3 vezes o volume de arroz)
charque desfiada
1 cebola picada
2 dentes de alho
1 fio de azeite
(juntei a cebola e o alho do caldo, que amassados com o garfo viraram um purê)
3 colheres de sopa de requeijão (eu usei 3 unidades do queijo da vaca que ri, equivalente ao polenghinho)
cebolinha picada

Começar dessalgando a charque. Cortá-la em pedaços e colocar em água fria no fogo alto. Quando ferver, escorrer e trocar a água. Repetir este processo 3 vezes. Na última água, juntar a cebola espetada com os cravos e o resto dos ingredientes. Deixar cozinhar até que a charque fique macia (pode ser na panela de pressão).
Retirar a charque e desfiá-la, reservar o caldo. (Isso pode ser feito na véspera)


Para o risoto, dourar a cebola e o alho no azeite. Juntar a charque e refogar um pouco. Juntar o arroz e mexer até que ele fique translúcido, envolvido no azeite. Juntar o vinho e mexer bem, até secar. Juntar o caldo (quente) aos poucos, uma concha de cada vez (eu juntei também o purê do alho e da cebola que foram usados no caldo), mexendo sempre. No final, quando todo o caldo for absorvido, juntar o requeijão e mexer bem.


Servir bem quente, com a cebolinha por cima.

5 comentários:

  1. Kati, adorei o prato. Deves ter comido entre suspiros esse charque. Lindo. =)

    ResponderExcluir
  2. Kati q delicia! Deve ter ficado
    Muito bom!

    ResponderExcluir
  3. Olá Kati,
    É delicioso conseguir satisfazer essas vontades ou saudades, sendo que esse risoto deve ter ficado maravilhoso.
    Beijo,
    Vânia

    ResponderExcluir
  4. nossa!
    adoro demais charque
    e esse risoto está com um aspecto maravilhosoooo!
    bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...