quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Dahl de lentilha e arroz - tempero indiano

Depois de um período bem agitado, em que estive longe da minha cozinha, estou de volta com um prato delicioso e saudável. Quando eu era pequena, eu não gostava de lentilhas. Mas depois de alguma tempo, resolvi dar uma segunda chance a elas, lembrando que o paladar muda com o tempo, e algo que a gente não gosta quando é pequeno, pode virar um prato preferido alguns anos mais tarde.

As lentilhas ainda não viraram meu prato preferido, mas estou gostando bastante de poder agregá-las à minha alimentação. Dessa, vez, uma inspiração indiana.
O dahl é um prato indiano vegetariano, um ensopado de grãos. No meu caso, usei lentilhas e arroz cozidos no leite de coco, temperados com curry (caril) e cominho. A receita vem da enciclopédia da cozinha vegetariana (L'encyclopédie de la cuisine végétarienne  - de Nicola Graimes, editora Manise), e foi encontrada nesse site aqui. Eu adaptei ligeiramente, quase nada.


Ingredientes:

120g de lentilhas (mais ou menos 1 xícara de chá)
120g de arroz  (mais ou menos 1 xícara de chá)
200mL de leite de coco
600mL de caldo de legumes (caseiro ou um cubo dissolvido nesta quantidade de água - para ver como fazer  caldo de frango caseiro, clique aqui)
1 cebola picada
azeite, sal, pimenta do reino
curry (caril), cominho (colocar um pouco, provar e se precisar, juntar mais)
amêndoas sem pele tostadas para decorar (para ver como tirar a pele das amêndoas facilmente, clique aqui)

Começar refogando a cebola picada no azeite até dourar. Juntar o leite de coco e o caldo de legumes. Quando começar a ferver, jogar as lentilhas, juntar o curry, o cominho e deixar cozinhar na panela tampada, mexendo de vez em quando por 15-20 minutos. Depois desse tempo, juntar o arroz e deixar cozinhar por mais 10-15 minutos, mexendo de vez em quando para que não grude no fundo da panela. Quando a maior parte da água tiver sido absorvida, mas que a mistura esteja ainda úmida, desligar o fogo e servir com algumas amêndoas grelhadas.
Este prato pode ser consumido puro, para vegetarianos, ou como acompanhamento.


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Pudim de queijo com calda de goiabada

Sempre tenho em estoque alguns produtos brasileiros. Fico com pena de usar, guardando para ocasiões especiais. Dessa vez era um pote de goiabada. Parece coisa besta, mas quando a gente passa um tempo sem, a gente aprende a dar mais valor aos produtos que a gente só encontra no Brasil. A cada vez que eu viajo para lá, volto com a mala cheia. E se algum amigo vier, faço uma lista de encomendas.
Pois bem, para acompanhar a goiabada, que é, lógico, a estrela da sobremesa, resolvi fazer um pudim de queijo com calda de goiabada.


Pensei em crème brulée de goiabada, como vi nessa receita aqui e achei o máximo. Mas eu não gosto de usar muitas gemas ou muitas claras numa receita só (nesse caso muitas gemas) quando eu não tenho tempo de fazer algo com o que sobrar. Eu sei que dá para congelar as claras (não as gemas) e usar mais tarde, já fiz isso e deu certo...mas não. Depois pensei num pudim de goiabada, usando a goiabada derretida no lugar do leite condensado. Acho que fica legal. Mas depois pensei que um pudim de queijo iria realçar o gosto da goiabada. E assim nasceu essa receita, que não tem nada de original, mas é tão típica do Brasil, meio culinária portuguesa do pudim de leite, abrasileirada, usando leite condensado, e tropical pela goiabada.
E para completar com chave de ouro, o queijo que eu usei foi o requeijão que eu fiz aqui, receita da Vânia, do Guloso e Saudável.
Tem uma receita de pudim de leite condensado aqui, para quem quiser fazer a versão mais simples.Mas eu confesso que me apaixonei por esse pudim desde que ele saiu do forno...um cheiro maravilhoso, e um gosto melhor ainda! O sabor do queijo é bem suave mas evidente, a parte que fica em contato com a calda de caramelo fica com uma textura deliciosa, um sabor de doce de leite com uma pontinha de sal...hum... E para completar a loucura, a calda de goiabada...


Vamos aos ingredientes:
1 lata de leite condensado
2 medidas da lata de leite (usei semidesnatado)
4 ovos
3 colheres de sopa de requeijão caseiro
2 colheres de sopa de queijo grano padano ralado (pode ser parmesão)

Para a calda do pudim (fiz pouquinha só para que o pudim não grude na forma, porque ainda tem a calda de goiabada que vai por cima):
1/2 xícara de chá de açúcar
1/4 xícara de chá de água

Para a calda de goiabada:
o quanto baste de goiabada
um pouquinho de água para derreter e deixar a calda molinha

Para o pudim, nada mais fácil. Bater tudo no liquidificador, por bastante tempo. Para a calda do pudim, colocar o açúcar numa panelinha, esperar que ele derreta e vire caramelo. Jogar a água por cima e mexer até que tudo derreta e fique homogêneo. Colocar a calda numa forma de buraco (ou em forminhas individuais). Colocar a mistura do liquidificador na forma e levar ao forno preaquecido a 180° em banho-maria. Colocar a forma do pudim dentro de outra de bordas altas e encher com água fervente até a metade. Assar até passar no teste do palito, o que no meu forno demora mais de 1h.

Para a calda de goiabada, levar ao fogo uma panelinha com a água e a goiabada, mexendo de vez em quando até derreter. Se ficar muito grosso, junte mais água. Servir com o pudim.

Vocês não imaginam o cheiro delicioso desse pudim saindo do forno... hum.... Esse pudim é daqueles que não demora muito tempo na geladeira!

E para homenagear a minha terra,de onde vem tanta coisa, boa, fiquem ao som dessa musica! Recife: Menina dos olhos do mar, na voz de Lenine.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Requeijão caseiro

De uns tempos para cá, estou procurando fazer as coisas, principalmente cozinhar, de uma forma diferente, mais saudável. E quem fala em saúde, fala em consumir mais frutas e verduras, diminuir gordura, sal, etc. Pois é o caso. Não que eu esteja fazendo uma dieta, mas só pelo prazer de fazer os pratos em casa e consumi-los sabendo o que tem dentro deles.

Resolvi fazer o teste do requeijão caseiro da Vânia, do Guloso e Saudável para substituir o queijo durante uma semana. Quando eu vi a receita, lembrei que a minha mãe fazia algo parecido. Durante um tempo ela o fez frequentemente, depois a receita foi esquecida. Ou seja, grande responsabilidade, porque o tal requeijão me traz muitas lembranças.


A receita é muito simples! Fiz somente a metade, mas vou passar aqui a original.
  • 1 litro de leite desnatado;
  • 300 gramas de queijo mussarela light; (usei 100g de queijo emmental e 50g de queijo parmesão para meia receita)
  • 3 colheres de sopa de amido de milho.
Bater tudo no liquidificador e levar ao fogo baixo até engrossar, mexendo sempre. Deixar descansar até esfriar e misturar novamente. Guardar na geladeira num pote de plástico ou vidro com tampa.


O requeijão ficou com a mesma textura do que minha mãe fazia, sendo que por causa do queijo, ele ficou um pouco mais salgado porque eu usei um pedaço grandinho de queijo parmesão (de pedaço, e não ralado) e com alguns pedacinhos de queijo que não derreteram.

Ele passou no teste, foi aprovadíssimo! Agora é só aproveitar. Fiz metade da receita e me rendeu dois potes de vidro de 450 gramas cada um.

Consumir com pão, torradas, pizza ou outras receitas.

Lembrando do conselho da Vânia: "Não guarde por muito tempo, pois não contém conservante, por isso pode estragar."

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Peras cozidas com especiarias

Mais uma receita de peras, mais uma vez cozidas. Aqui estamos na época onde encontramos peras em todos os lugares, preço bom. E esta é uma das minhas frutas preferidas. Cozidas com especiarias, elas se tornam uma forma fácil e gostosa de comer frutas.

Desta vez, elas não foram cozidas no vinho tinto, mas numa infusão de chá preto indiano com especiarias e um pouco de açúcar e de mel.


Conserva-se bem na geladeira durante vários dias em um pote bem fechado. Podem ser servidas puras com a calda, com sorvete, chantilly, iogurte, podem ser usadas em tortas, bolos e onde mais a criatividade permitir.

Ingredientes:
3 peras
1 saquinhos de chá indiano (chá preto com especiarias como canela, cardamomo, gengibre, cravo)
um bastão de canela
alguns cravos
gengibre em pó, mas pode ser fresco ralado, ou um pedaço inteiro que possa ser retirado depois, para quem preferir mais suave
pimenta do reino em grãos
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de mel
2 colheres de sopa de licor de laranja (a ideia é aromatizar com laranja, como eu não tinha a fruta para usar as raspas, usei o licor)
água o suficiente para cobrir as peras em uma panela (usei 1L)

Levar ao fogo 1L de água. Quando ferver, colocar o saquinho de chá e deixar em infusão por 5 minutos. Retirar o saquinho, colocar o açúcar, o mel, as especiarias e o licor de laranja (ou as raspas). Descascar as peras, cortar em 4 e retirar as sementes e o cabinho. Colocar as peras na calda e deixar cozinhar por 20 minutos, ou até que elas fiquem macias. Isso depende do quão maduras estão as peras. Retirar as peras quando elas estiverem macias e deixar a calda no fogo uns 20 minutos para reduzir. A calda vai ficar mais espessa. Conservar em um recipiente fechado na geladeira. Servir frio ou morno.




terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Sobre mim, sobre reformas de uma casa...e feliz "dia dos namorado"

Nestes últimos tempos eu não tive tempo para me dedicar às minhas receitas e fazer tudo o que eu tenho vontade.

Um simples motivo: eu e meu namorado compramos um apartamento. A mudança deve ser feita até o final do mês de fevereiro (estamos quase lá!!!), mas ainda temos várias coisas para fazer, uma pequena reforma, para deixar o apartamento em condições habitáveis e confortáveis.

E nessa história, já pintamos paredes, colocamos papel de parede, trocamos o piso (de carpete passamos a um assoalho estratificado, tipo taco), e ainda tem muito mais por vir. Entre fazer a mudança (montar e desmontar móveis, embalar e desembalar tudo, caixas e tudo o que tem direito), pinturas de paredes/teto, colocar mais papel de parede onde precisa, fazer uma cozinha nova (retirar o que existe e instalar armários e eletrodomésticos)... acho que só terminaremos no final de março (hipótese otimista).

Enquanto isso, meus fins de semana tomaram outro rumo. Ao invés de cozinhar, o que eu adoro fazer quando eu tenho um tempinho disponível, estou trabalhando na reforma da casa. Lembro-me da última vez que eu pintei algo, deve ter sido aos 11 anos, numa aula de artes na escola. Isso mostra o quão habilidosa eu sou nesse tipo de trabalho. Montar e desmontar móveis, eu passo uma eternidade, mas termino. Mas daí a pintar muros, ainda que seja de branco, consertar uma parede descascada (retirar as partes descascadas, lixar, passar outra mão de tinta...), serrar placas de taco (estratificado) no tamanho certo par encaixar num canto onde tem uma porta...não esta sendo nada fácil, mas muito prazeroso. E muito cansativo.

Confesso que estou tomando gosto...ainda mais vendo que os resultados são satisfatórios. E ainda tem aquele gostinho de "fui eu que fiz". Agora eu não posso ver uma porta com a pintura meio feia que eu comento com meu namorado "e se a gente pintasse também as portas?". E ele me responde "só depois que a gente trocar o armário e a pia do banheiro". Pelo visto, não sou a única a tomar gosto pela reforma!

Cumplicidade num relacionamento é tudo!
Feliz "dias dos namorados", dia de São Valentim aos apaixonados de todas as idades, crenças e gostos.

Lentilha com frango, queijo feta e cebola caramelizada

Mais um prato quentinho para os dias de frio. Mas pode também ser servido frio como uma salada nos dias quentes. A inspiração veio do site Panelinha, receita aqui, eu só fiz juntar um pouco de frango desfiado, mas nada obrigatório, e trocar as cebolas fritas por cebolas caramelizadas com um pouco de manteiga e açúcar. O molho da receita também é delicioso. E o que era salada, virou um almoço!

A receita original é essa:

Ingredientes para o molho:
1/2 xícara (chá) de óleo de canola (usei de azeite)
1/4 xícara (chá) de vinagre de vinho branco (usei balsâmico)
2 colheres (chá) de açúcar
1/2 colher (sopa) de sal
1/2 xícara (chá) de folhas de salsinha picadas
1/2 xícara (chá) de folhas de hortelã picadas

Numa tigela, misture todos os ingredientes.

Ingredientes para a salada:
200 g de lentilha
2/3 xícara (chá) de amêndoas
1 cebola grande
1 xícara (chá) de óleo de canola 1 colher de sopa de manteiga e 1 colher de sopa de açúcar para caramelizar a cebola
100 g de queijo feta

Cozinhar as lentilhas numa panela com bastante água até que os grãos estejam cozidos, mas ainda durinhos. Retirar a pele das amêndoas, como foi mostrado neste post aqui. Tostá-las em uma frigideira até que elas fiquem douradas, cuidado para não queimar. Numa panela, derreter a manteiga, juntar o açúcar e esperar ficar marrom. Juntar as cebolas picadas e mexer bem até que ficam com uma cor dourada. Juntar o frango desfiado e deixar dourar um pouco (juntei uma pitada de páprica). Reservar. Cortar os cubos do queijo feta. Misturar as lentilhas escorridas com o molho, as cebolas, as amêndoas e os cubos de queijo.


Servir quente ou frio, como uma salada.



segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Cappuccino

Adoro cappuccino. Mas aquele feito à moda brasileira, com chocolate e canela em pó. O original é só café com espuma de leite. Nem se compara com a nossa adaptação. A Vânia, do Guloso e Saudável, propõe uma receita caseira de cappuccino delicioso. E é delicioso mesmo.


Adaptei só nas quantidades, fiz 1/4 da receita original.

Receita original (quantidades mais fáceis):
Ingredientes
  • 2 colheres de sopa: Bicarbonato de sódio;
  • 100 gramas: Café solúvel ;
  • 400 gramas: Leite instantâneo em pó; (*usei leite desnatado)
  • 2 colheres de sopa: Adoçante culinário em pó; (*usei açúcar)
  • 5 colheres de sopa: Chocolate em pó. (usei cacau em pó, sem açúcar)
Juntei canela, 1 colher de chá para 1/4 da receita, mas isso é ao gosto do freguês!
Para o preparo, misturar todos os ingredientes (os só os que são granulados, no meu caso o café e o leite) e bater no processador de alimentos até ficar fino. Peneirar, ajudando com uma colher o que não passar pela peneira. Colocar num vidro com a ajuda de um funil.


Para o preparo, usar 4 colheres de chá para uma xícara de chá de água quente (não usar água fervendo, aguardar um pouco após a fervura).

Boa degustação!


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Risoto de brócolis e frutos do mar

Gosto muito de arroz com brócolis, pois ele deixa o arroz perfumado na medida certa. Há algum tempo eu venho amadurecendo a ideia de fazer um risoto com brócolis. Fiquei em dúvida depois se colocava frango desfiado, bacon, algum tipo de queijo (ricota, queijo de cabra, queijo feta ou outro), salmão defumado. Acho que todas as combinações são boas, mas acabei decidindo por frutos do mar (usei camarão e mexilhão).


Para isso, usei um caldo de mexilhões que eu fiz em casa (caldo do cozimento dos mexilhões com cebola, vinho branco e coentro). Na época, guardei o caldo para usar em outra ocasião (meu congelador é cheio de surpresas!). Desta vez, não comprei os mexilhões frescos, mas num vidro, cozidos ao natural, sem óleo nem temperos, mas bem saborosos.

Usei:
200g de arroz para risoto (arbóreo, no meu caso)
200g de flores de brócolis branqueadas (cozidas por alguns minutos em água fervente com um pouco de sal, depois resfriadas em água gelada)
1 colher de sopa de azeite de oliva
1 cebola picada
1 talo de alho-poró em rodelas (somente a parte branca, a parte verde pode ser congelada para ser usada no caldo de frango caseiro, ou de camarão caseiro)
2 dentes de alho na conserva de azeite, como foi feito aqui, amassados
100g de camarão limpo, cozido, sem casca nem cabeça
200g de mexilhões cozidos, sem as conchas
200mL de vinho branco seco (usei cepagem Sauvignon, uma uva bastante ácida, vai muito bem com frutos do mar, o risoto pode inclusive ser servido com esse vinho)
400mL (aproximadamente) de caldo de mexilhões caseiro (caldo do cozimento dos mexilhões com cebola, vinho branco e coentro, mas pode ser caldo de camarão, de peixe ou de legumes)
sal e pimenta do reino a gosto
lascas de queijo parmesão para servir

O procedimento básico para risotos é:
Refogar a cebola, o alho-poró e o alho no azeite (nesse momento, caso seja necessário, juntar outros ingredientes gordurosos, como bacon, linguiça ou os legumes que precisam de cozimento). Juntar o arroz e misturar bem até que ele esteja completamente envolvido no azeite, ficando transparente.


Neste momento, juntar o vinho (normalmente branco, mas em algumas receitas pode ser tinto) e mexer até que ele seja totalmente absorvido. A partir dai, juntar o caldo (nesse caso de mexilhões, mas dependendo do risoto pode ser de legumes, de frango, de carne...), uma concha de cada vez. Só juntar outra quando a anterior for totalmente absorvida.
Normalmente, a medida para risotos é de 1 volume de arroz para 3 volumes de líquido (lembrar que o vinho também é líquido, então contar mais ou menos 1 volume de vinho e 2 volumes de caldo).
Quando uma parte do caldo for absorvida, é o momento de acrescentar os ingredientes cozidos que farão parte do risoto, como legumes picados, frango desfiado, presunto, etc. O arroz ganhará o sabor dos ingredientes acrescentados nesse momento. No meu caso, juntei as flores de brócolis, os camarões e os mexilhões.


O cozimento do arroz dura cerca de 18 minutos, mais do que isso ele vai se desmanchar, menos ele fica duro. Então, perto dos 18 minutos, provar alguns grãos, e ele ainda estiver duro, não juntar outra concha cheia de líquido, se necessário, juntar só um pouquinho. Acertar o sal e a pimenta do reino.

A ultima parte do cozimento é a "mantecatura", quando se junta manteiga, creme de leite, queijo parmesão (ou outro) e mistura-se vigorosamente para dar a liga e deixar o risoto bem cremoso. Depois disso, o risoto não pode esperar para ser servido. Nesse caso, com frutos do mar, não usei nada, nem parmesão, nem creme de leite. Normalmente, o arroz é suficiente para dar um aspecto cremoso ao risoto. Só usei algumas lascas de parmesão na hora de servir.
Caso seja necessário, pode-se cozinhar o risoto em duas etapas. Do inicio até antes da última concha de caldo ser absorvida. Nesse momento, pode-se parar o cozimento, esperar os convidados e deixar a segunda etapa para quando todos estiverem à mesa (esperando o risoto quentinho).
Na segunda etapa, junta-se a última concha de líquido e faz-se a mantecatura (acrescentando o queijo, creme de leite, manteiga...). E, lógico, desta vez o risoto deve ser servido imediatamente.
Bom apetite!


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Baião de dois

Baião de dois é um clássico nordestino. E por esses dias, me deu vontade de comer feijão. E como prato completo, fiz esse baião de dois, inspirado nessa receita aqui. Essa receita não leva charque, o que eu não tenho por aqui. Quem quiser fazer sem carne, ótimo. Eu juntei um pouco de carne moída e umas rodelas de linguiça defumada.


Usei:
250g de feijão cru
200g de arroz integral
200g de carne moída
300g de linguiça defumada assada no forno, como nessa receita aqui e cortada em rodelas
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1/2 pimentão verde e 1/2 pimentão vermelho
1 colher de sopa de coentro
sal e pimenta do reino a gosto
cominho a gosto
manteiga de garrafa ou óleo ou azeite
cubos de queijo (de preferência coalho, mas como eu não tinha, usei emmental)

Começar cozinhando o feijão com bastante água. Quando estiver quase cozido, apagar o fogo e reservar.
Numa panela, dourar a cebola na manteiga de garrafa (ou óleo ou azeite). Juntar o alho. Quando estiver dourado, juntar a carne moída e refogar até que não tenha nenhum pedaço vermelho, temperar com sal, pimenta do reino e cominho. Juntar a linguiça em rodelas, os pimentões e o arroz e misturar bem. Juntar a polpa de tomate e misturar bem. Juntar 2 vezes o volume de arroz do caldo de cozimento do feijão (mais ou menos 500mL) e o coentro. Deixar cozinhar até quase secar a água. Nesse momento, juntar o feijão escorrido e deixar mais alguns minutos até terminar de cozinhar. Na hora de servir, juntar cubos de queijo e umas gotinhas de manteiga de garrafa (opcional).

 



E para acompanhar, esse baião de dois, um forró do Mastruz com Leite, na sua época áurea. E bom apetite!


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Massa com molho de tomate ao vinho e queijo feta

Um dia desses, no mercado da cidade, eu comprei vários tomates. Acabei não dando conta sozinha durante a semana, e acabei fazendo um molho ao vinho tinto para congelar e usar em outra ocasião.
A ocasião apareceu, e eu usei um queijo feta que tinha na geladeira com uma massa integral. Refeição completa! Se eu tivesse azeitonas pretas, teria acrescentado.


Para o molho, usei:
8 tomates pelados picados
3 echalotas picadas (entre o alho e a cebola, de sabor delicado)
2 dentes de alho picados
azeite, sal, pimenta do reino
ervas de provença
1 xícara de vinho tinto seco
1 colher de sopa de açúcar 
água o quanto baste

Refogar as echalotas em um fio de azeite. Juntar o alho e deixar dourar. Juntar os tomates, as ervas de provença e o açúcar. Molhar com o vinho tinto e deixar reduzi a metade. Juntar um pouco de água (para não secar o molho) e deixar cozinhar por uns 20 minutos.
Eu congelei esse molho em sacos de congelação, dividido em 3 partes.

Com uma das partes, ou um terço desse molho, eu fiz essa massa para 2 porções:
200g de massa (usei penne integral)
100g de queijo feta
lascas de parmesão
(se eu tivesse azeitonas pretas, eu teria acrescentado)

Cozinhar a massa em bastante água com um pouco de sal.  Escorrer. Aquecer o molho e juntar o queijo em cubos. Misturar com a massa e deixar descansar um pouco para que o queijo derreta levemente. Servir com lascas de parmesão.



terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Bolo de chocolate de liquidificador

Esse fim de semana para mim foi de muito trabalho, por isso a ausência de receitas...não tive tempo para fazer nada. Nada mesmo!
Mas, para compensar, essa semana resolvi fazer um bolo de chocolate. Rápido e sem muitos ingredientes, porque eu não tinha tempo para ir às compras. Achei na net esse bolo de chocolate de liquidificador que usa somente 2 ovos. Era o que eu tinha na geladeira! Adaptei um pouquinho, porque eu quis usar farinha de amêndoas para dar uma maciez extra ao bolo.


Os ingredientes:
  • 1 xícara (chá) de achocolatado ou chocolate em pó (usei 100% cacau, sem açúcar)
  • 1 xícara (chá) de açúcar (usei mais uma colher de sopa de açúcar de baunilha)
  • 2 xícaras (chá) de trigo peneirado (usei 50g de amêndoas tostadas e processadas, o que me deu quase 1 xícara de farinha de amêndoas, completei com farinha de trigo até dar 2 xícaras)
  • 1 xícara (chá) de óleo
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 2 ovos
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • Calda: (Não usei calda)
  • 1 colher (sopa) de margarina
  • 3 colheres (sopa) de achocolatado ou chocolate em pó
  • 3 colheres de açúcar
  • 1 xícara (chá) de leite
Modo de Preparo
  • Unte uma forma de buraco pequena com margarina manteiga e trigo
  • Reserve
  • Bata no liquidificador, o óleo, o leite e o ovo
  • Acrescente Misture na mão o trigo, o açúcar e o achocolatado
  • Bata novamente (a mistura ficou muito pesada para bater no liquidificador)
  • Em seguida acrescente o fermento e bata misture
  • Despeje na forma e leve ao forno em temperatura média por cerca de 35 minutos
    Calda:
  1. Em uma panela coloque no fogo médio a margarina para derreter
  2. Assim que derreter coloque o açúcar e em seguida o achocolatado, por último acrescente o leite
  3. Mexa de vez em quando para não gastar, espere engrossar um pouco e despeje ainda quente no bolo


O bolo ficou bem escuro porque usei cacau, que é bem mais forte que o achocolatado e sem açúcar. Para quem está acostumado com bolo muito doce, o que não é o meu caso, talvez seja melhor aumentar a quantidade de açúcar ou usar um achocolatado. Eu gostei assim mesmo. As amêndoas conferem um toque de maciez além de um perfume muito agradável.



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Galinhada

Estava à procura de um prato único com frango e arroz. Eis que me lembrei de uma galinhada, que uma amiga paulista-mineira me fez um dia lá em casa. Lembro-me bem que levava bastante cebola, arroz galinha. Procurei um pouco na net, achei essa receita no Rainhas do Lar, Galinhada com Pequi. Nem que eu quisesse eu iria achar pequi pelas bandas de cá, então, adaptei sem!


A receita é simples e boa. Achei melhor copiar a do site para quem quiser fazer a original, com galinha inteira e pequi.


Ingredientes da Galinhada com Pequi: 


1 frango caipira inteiro (descartei os pés e a cabeça) - usei 2 peitos de frango (era o que eu tinha)
2 cenouras médias raladas cruas 
um punhado de tomate cereja - usei 2 tomates picados
2 xícaras de arroz parboilizado - usei integral
açafrão pra temperar e colorir 
pequi (eu coloquei uns 10) 
cheiro verde e pimenta a gosto (usei ervas de provença)
tempero para o frango de sua preferência (temperei com pimenta branca e molho de soja para ajudar a dar uma corzinha)

2 cebolas picadas

*óleo para dourar a cebola e o frango (usei óleo de girassol com um pouquinho de óleo de gergelim)


Modo de fazer:

Retirei a pele do frango e temperei. Deixei mais ou menos umas 3 horas marinando. Depois refoguei o mesmo com um pouco de óleo quente, açafrão e cebola. Acrescentei os pequis, a cenoura ralada, os tomatinhos tomates picados sem sementes, o arroz e água. Deixei cozinhar até que o frango e o arroz estivessem cozidos e no ponto. Arrematei com cheiro verde e uma pimentinha picada. Ficou show!!!






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...