quinta-feira, 31 de maio de 2012

Pão de queijo

Este é um clássico da culinária brasileira. Pão de queijo, só me faltou o queijo minas, tive que me virar com outros tipos.

Primeiro, deixa eu contar uma historinha...
Quando eu era pequena, eu morava perto de uma padaria. Lembro que eles faziam pão de queijo sempre no final da tarde. Como eu sempre era a encarregada de comprar o pão (quando eu não era escolhida, eu dava um jeito de ir junto), eu levava o dinheiro do pão, do leite e sabia que sobravam algumas moedinhas.
Como eu não era boba nem nada, eu ia cedo na padaria, na hora que eu sabia que tinha pão de queijo quentinho. Porque pão de queijo só presta quentinho, né? Depois que esfria, ele perde metade do encanto.
E esse era o destino das moedinhas do troco do pão. Elas viravam pão de queijo nas minhas mãozinhas gulosas. Mas como eu partilhava com as pessoas de casa (eu era gulosa, mas não egoísta), muitas vezes eu tive que arrecadar novas moedinhas chegando em casa para voltar à padaria e trazer a fornada inteira de pão de queijo (já que eles não faziam muito). Todo mundo lá de casa adora!
Como isso foi muito antes de aparecer o pão de queijo congelado, ou o saquinho com a mistura pronta para pão de queijo, ou muito menos internet com todas essas receitas, essa era a única forma de comer meu pãozinho de queijo: correr na padaria antes dos outros clientes e torcer para poder ficar com o troco do pão.

Os tempos mudaram, eu me mudei, agora as padarias perto daqui não sabem nem o que é pão de queijo (coitadas, não sabem o que estão perdendo...), tenho que me virar com os produtos trazidos do Brasil. Entre eles, um pacote de polvilho doce. A receita eu pedi à minha irmã, que morou alguns anos em Minhas Gerais, em Uberlândia, e sabe como ninguém fazer o pão de queijo. Ela aprendeu direitinho!

A felicidade está nestas coisas simples...


Usei:
500g de polvilho doce
250mL de leite (1 copo)
125mL de óleo (1/2 copo)
3 ovos
500g queijo ralado (usei 100g de parmesão ralado e 400g de emmental - na receita original é queijo minas, uma parte pode ser queijo curado)
sal

Colocar o polvilho doce na tigela da batedeira. Ferver o leite com óleo e sal e jogá-lo por cima do polvilho. Usar a batedeira com o batedor de pão (o gancho). Juntar os ovos um a um, sempre batendo na velocidade mínima. Quando a mistura estiver bem homogênea (meio colante, mas é normal), juntar o queijo ralado, em pequenas porções e continuar batendo.


Quando todo o queijo for incorporado, untar as mãos com óleo e modelar as bolinhas.


Só um detalhe, eu coloquei uma pitada de sal e não foi o suficiente, porque o queijo não era salgado. Se for o caso de vocês, queijo com pouquíssimo sal, sejam um pouco mais generosos do que eu, senão o pão de queijo não fica com o mesmo sabor.

Quando todo o queijo for incorporado, você pode juntar outras coisas na massa, seja para misturar, seja para rechear, como linguiça calabresa picadinha, azeitona, orégano, goiabada, etc.

Separar a quantidade para assar e congelar o resto. Esta receita rendeu cerca de 60 bolinhas.


Sopa leve de abobrinha com queijo fresco

Para os amantes de sopa, trago aqui uma pérola! Sopa gostosa, rápida de fazer, nutritiva e leve ao mesmo tempo.

Sou a favor das pessoas que pensam que comida gostosa e saudável tem tudo para ser gostosa. E se for leve, melhor ainda! Serve tanto para o inverno quanto para o verão, por ser leve. (só para ter uma ideia, fiz uma estimação nutricional com todos os ingredientes e encontrei somente 305 calorias, ou seja, aproximadamente 100 calorias por porção).


A minha mãe acompanhou a receita e ficou impressionada com a facilidade da mesma. E depois com o sabor.

Vamos ao que interessa, para 3 porções:
500g de abobrinhas (3 pequenas) cortada em pedaços grandes
3 echalotas (ou 1 cebola) picadas
2 dentes de alho picados picados
100g de queijo fresco (usei de cabra, mas pode ser substituído por requeijão normal ou light)
um fio de azeite de oliva
sal, pimenta do reino, ervas de provença
água para  cozinhar as abobrinhas, uns 500mL

Começar refogando a echalota (ou a cebola) com o alho no azeite. Quando dourar, juntar a abobrinha e deixar refogar durante uns 5 minutos. Juntar a água e deixá-la cozinhar com a panela semi tampada até que ela fique macia (uns 15 minutos).
Juntar o queijo fresco (ou o requeijão) e passar no liquidificador (ou no mixer).
Voltar à panela e deixar ferver. Servir quentinho.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Mini-pizza de preguiçosa

A minha mini-pizza já estava pronta quando eu lembrei de ter visto esta pizza de preguiçosa na blogagem coletiva de Receita de Amiga.

Apesar de não ter nada de preguiçosa e ela não  ter nascido com destino a virar pizza, e sim bruschetta, tartine, torrada com queijo e tomate, ou qualquer coisa que o valha, elas ficaram tão parecidas com a foto do post, que não tem como não compará-las.


Elas serviram para acompanhar um jantarzinho leve, depois de uma sopa de abobrinha com queijo fresco, que foi feita aqui.

Fiz assim:
Para 3 mini-pizzas:
3 fatias de pão de forma integral
1 colher de chá de mostarda de Dijon (não muito forte)
3 tomates sem pele e sem sementes picado
queijo (usei muçarela em cubinhos e queijo fresco, eu tinha pouco queijo muçarela, então completei com um outro)
azeite, tomilho, orégano

Começar espalhando a mostarda nas fatias de pão. Uma camada bem fininha, só para dar um sabor diferente e não para queimar a boca de quem for comer. Jogar os cubinhos de tomate por cima, depois o queijo. Regar com um fio de azeite, polvilhar com tomilho, orégano e levar ao forno até derreter o queijo.


Cake de presunto, queijo e nozes

Um bolo salgado, ou cake, para a hora do lanche, um jantar leve, uma entrada, um petisco, ou para variar de tortas salgadas. Sempre faço essa receita usando legumes, frango, queijo, presunto, azeitona, o que tiver na geladeira.


Dessa vez, fiz com presunto, queijo Edam, o pai do queijo-do-reino do Brasil, e nozes. A receita veio daqui.


Primeiro, uma historinha sobre o queijo-do-reino, fonte Wikipédia.


No período em que permaneceu no Brasil, a corte portuguesa importava queijos Edam da Holanda, via Portugal. Mais tarde, em 1880, na região da Mantiqueira, em Minas Gerais, produtores brasileiros começaram a produzir um queijo inspirado no Edam para suprir a demanda pelos "queijos dos nobres portugueses". Foi assim que surgiu o queijo-do-reino, que foi portanto o primeiro queijo curado industrializado do Brasil. A origem de seu nome seria em virtude de este ser inicialmente fabricado para consumo dos nobres do Reino de Portugal, que na época estavam estabelecidos no Brasil. Posteriormente, seu consumo se popularizou entre as classes mais abastadas do país e hoje em dia é amplamente consumido, principalmente nas épocas de Natal e de Festas Juninas.
Em Portugal, o conhecido "queijo flamengo", possui a mesma forma arrendondada e casca avermelhada, porém o sabor e a textura são completamente diferentes entre os dois queijos.
A casca avermelhada é o resultado da mistura com o urucum. O uso do urucu é uma prova da utilização de produtos nativos das América pelos holandeses. Os indígenas comercializavam diretamente o urucu com os holandeses.


Ingredientes:
  • 250g de presunto cozido em cubos
  • 250g de queijo Edam em cubos (ou queijo do reino, ou queijo prato, ou provolone...o que quiser!) 
  • 1 xícara de chá de nozes picadas em pedaços grandes
  • 300g de farinha de trigo
  • 6 ovos (usei 5)
  • 1 xícara de chá de leite
  • 100g de manteiga derretida
  • 1 colher de sopa de fermento em pó (1 saquinho)
  • 1 colher de chá de ervas de Provença (ou outras ervas desidratadas, como orégano ou outra)
  • sal e pimenta do reino
  • juntei também uma pitada de cúrcuma e de páprica (opcional)
Bater na batedeira os ovos com a manteiga. Juntar aos poucos a farinha (separar um pouco) e o leite, as ervas, o sal e a pimenta do reino. Juntar o fermento em pó e misturar delicadamente. Com um pouco da farinha, juntar o presunto e o queijo (para evitar que eles fiquem no fundo da forma) e juntar à massa, mexendo fora da batedeira. Juntar as nozes e misturar até ficar uma mistura homogênea. Juntar a páprica e o cúrcuma e mistura bem. Deitar numa forma untada e polvilhada e levar ao forno até passar no teste do palito.
      Servir com uma saladinha de cenoura ralada, com suco de limão, cebolinha e uma pitada de canela, como me ensinou minha amida Renata, do Eternos Prazeres


      terça-feira, 29 de maio de 2012

      Pasta de atum e alcaparras

      Eu sei, é comida de gente apressada, confesso. Mas essa é a minha realidade nessas últimas semanas. Mal paro em casa, por isso não tenho tempo de cozinhar. Ainda bem que eu tenho um bom congelador onde eu posso guardar minhas marmitas e comer quando eu preciso. Mais saudável, né?

      Além do congelador, tenho um bom armário. Pois sempre que eu passo no supermercado, procuro fazer um estoque na despensa para poder ter o que comer nesses momentos de correria. E uma simples latinha de atum pode fazer milagres. Com macarrão, com arroz, numa torta, num cuscuz, na salada, com torradas, de todas as formas ele é ótimo.

      Dessa vez, usei alcaparras, pois o meu vidrinho de conserva está demorando para acabar, e acabei fazendo uma pastinha.


      A receita é jogo rápido, basta passar no processador:
      1 lata de atum (160g - escorrido)
      100g de ricota
      1 iogurte natural
      1 colher de sopa de alcaparras
      1 colher de sopa de mostarda (de Dijon, aquela ardidinha e não a doce americana)
      junto com pimenta do reino moída na hora e algumas ervas, se quiser.


      Depois, misturar outra colher de alcaparras que ficarão inteiras e misturar bem. Reservar na geladeira por alguns minutos antes de servir.

      Servi com grissini.


      Keftas (almôndegas) com couscous e legumes da Elvira

      Procurando receita de almôndegas, achei esta receita no site da Elvira (quem não conhece, pode ir visitá-la, é satisfação garantida), que além de fazer pratos deliciosos, faz fotos linda.

      Estas keftas são almôndegas mais aromáticas, popularmente servidas com couscous marroquino. Desta vez, o molho de acompanhamento sera um molho de tomate com grão de bico e abobrinha.


      A receita eu reproduzo aqui na íntegra, com alguns comentários.

      - 500 g de carne de vaca picada (carne moída)
      - 2 ovos
      - 250 g de grão de bico seco (usei 200g de grão de bico cozido, em lata)
      - 1 kg de curgetes (abobrinha)
      - 1 lata grande de tomate pelado (+/- 400 g)
      - 3 cebolas grandes picadas
      - 4 dentes de alho picados finamente
      - 1 ramo de salsa (ou de coentros frescos) (usei coentro)
      - 100 mL de azeite (usei menos que isso, somente para untar a panela)
      - 100 g de miolo de pão da véspera
      - farinha q.b.
      - leite q.b.
      - 1 colher (chá) bem cheia de ras-el-hanout*
      - 1 colher (café) de gengibre em pó
      - 1 malagueta finamente picada (não usei)
      - sal & pimenta

      *o ras-el-hanout é uma mistura de especiarias típicas de África do Norte.Mas pode-se substituir o ras-el-hanout por uma quantidade equivalente de uma mistura constituída por canela, erva-doce, noz-moscada e cominhos em pó.

      Preparação

      Demolhar o grão de bico em bastante água fria de um dia para o outro. No dia da preparação, escorrer o grão e cozê-lo em água a ferver temperada com sal por 1 hora. (usei grão de bico já cozido)
      Colocar o miolo de pão esmigalhado numa tigela. Cobrir com leite e demolhar por 10-15 minutos. Escorrer muito bem o miolo de pão.
      Misturar a carne picada com o miolo de pão, 1 ovo, os alhos, 2 colheres (sopa) de salsa coentro previamente picada picado, o gengibre, o ras-el-hanout, sal e pimenta. Moldar as almôndegas.


      Passar as almôndegas por farinha e depois pelo ovo restante batido. Levar as almôndegas a dourar de todos os lados em lume médio no azeite aquecido por aproximadamente 15 minutos. Retirar as almôndegas da frigideira, escorrer sobre papel absorvente e reservar.


      Refogar as cebolas picadas na mesma gordura até dourar um pouco. Adicionar o tomate pelado picado grosseiramente juntamente com a calda deste. Regar com 400 mL de água a ferver e cozinhar em lume brando por 20 minutos. Temperar com sal e pimenta.
      Pré-aquecer o forno a 180ºC. (fiz numa panela normal, no fogão e não na panela de barro no forno)
      Escorrer muito bem o grão de bico. Lavar as curgetes, removendo as extremidades. Cortar as curgetes em rodelas
      Colocar o grão de bico no fundo de uma panela de barro (ou de um recipiente próprio para tajine). 
      (neste momento, juntei o grão de bico e as abobrinhas no molho de tomate e deixe cozinhar em fogo baixo por uns 30 minutos)
      Adicionar as rodelas de curgete e cobrir com as almôndegas. Temperar com a malagueta picada. Regar com o molho de cebola e tomate.

      Polvilhar com a restante salsa picada e cobrir com uma tampa. Levar a cozer no forno por 1h30, a 180ºC. (em fogo baixo por uns 30 minutos). Retirar a panela do forno e servir de seguida, na própria panela.


      Agora os meus comentários:
      1. Esqueci de colocar o coentro nas almôndegas, mas coloquei no molho (tirei a foto daqui de cima antes disso);
      2. Não misturei as almôndegas no molho, deixei-as separadas e servi no prato, com o molho pro cima;
      3. Fiz com 500g de carne e rendeu 30 almôndegas de tamanho médio;
      4. A quantidade de 4-5 almôndegas serve muito bem uma pessoa com fome;
      5. O que significa que estas quantidades de ingredientes  serve bem 6 ou 7 pessoas;
      6. Fiz a metade do molho e foi o suficiente para 6 porções;
      7. Usei 50g sêmola de trigo (couscous) por pessoa, hidratada em igual volume de água com uma pitada de sal e um fio de azeite.
      8. Ficou delicioso!!

      segunda-feira, 28 de maio de 2012

      Batata gratinada

      Esta é somente uma versão possível de batata gratinada. Muitas outras podem ser feitas, dependendo dos ingredientes disponíveis em casa e da criatividade do momento.

      Podemos juntar outros legumes, como eu fiz neste post com brócolis. Podemos variar os queijos, incluir bacon ou presunto, usar um molho béchamel ao invés do creme de leite.... enfim, a criatividade é o limite.

      Perfeito para acompanhar carnes assadas, este prato é uma maravilha de sabor e aromas. A foto foi feita antes do prato ir ao forno. Depois não deu mais tempo...


      Fácil de fazer! Veja só:

      Para 4 porções, usei:
      1kg de batatas firmes
      150mL de creme de leite
      100g de queijo muçarela (uma bola)
      sal, pimenta do reino e noz moscada
      uma farofa para gratinar: farinha de rosca, queijo parmesão ralado e uma pitada de manjericão desidratado para gratinar (colocar tudo num potinho com tampa e sacudir para misturar tudo)

      Começar descascando as batatas e levando-as para cozinhar numa panela com bastante água e uma pitada de sal. Cozinhar até que elas fiquem macias, mas ainda bem firmes.
      Untar uma travessa, ou no meu caso em 4 travessas individuais, com manteiga ou azeite.
      Arrumar as batatas em camadas, salpicando sal, pimenta do reino e um pouco de noz moscada a cada camada. Quando acabar, regar com um pouco de creme de leite. Cobrir com o queijo e espalhar a farofinha. Levar ao forno até ficar bem dourado.



      domingo, 27 de maio de 2012

      Suco de casca de abacaxi com hortelã

      Uma dica rapidinha para os dias mais quentes, como essa bela tarde de domingo.

      Sabe o abacaxi que foi usado na salada de frutas, ou em qualquer outra receita? Usei as cascas para fazer um suco delicioso, junto com hortelã. A casca do abacaxi tem quase o mesmo sabor do próprio abacaxi no suco.



      Caldinho de feijão - feijoada no dia seguinte

      Sabe aquela feijoada que fazemos para receber os amigos? Aquele panelão que serve bem todo mundo e ainda sobra a metade?

      Pois bem, se você também cansou de comer feijoada nos dias seguintes e quer mudar a cara dela, a minha dica é um caldinho de feijão.


      Ele funciona muito bem como petisco, sabe aquele caldinho que abre o apetite? Ou então como uma boa sopa à noite, para aquecer a alma e fazer um carinho no estômago.

      A inspiração vem das praias recifenses, bem como os bares, que são cheios de caldinhos para agradar os clientes. Pode ser de feijão, de camarão, de peixe, de sururu, de caldeirada...

      Eles são servidos acompanhados de ovo de codorna, charque (pode ser calabresa picadinha e assada ao forno ou camarão, se for de frutos do mar), torresmo, milho, ervilha, farinha, azeitona, à escolha do cliente!

      Mas eu prefiro um purinho, mesmo, sem muita frescura...

      Aproveite que a feijoada está fria, depois de passar a noite na geladeira, por exemplo, para retirar o excedente de gordura. A gordura é mais leve que a água, e se solidifica mais rápido. Então a camada que fica em cima da feijoada (isto serve também para outros pratos) pode ser completamente retirada com uma colher, deixando sua feijoada mais leve e de mais fácil digestão.

      Depois, basta separar as carnes do feijão com seu caldo. Picar as carnes, bater o feijão com o caldo no liquidificador ou com um mixer, misturar tudo e levar ao fogo até ferver. Servir em seguida.

      sábado, 26 de maio de 2012

      Sopa cremosa de lentilha

      Mais uma sopa para variar o cardápio das noites, embora eles não estejam mais frias. Para mim, sopa é bom no frio ou no calor, não importa! Dessa vez uma sopa cremosa de lentilhas com um toque aveludado de leite de coco e de coentro. Encontrei esta receita nesse site e adorei a ideia!


      A receita é simples, e o preparo é rápido e fácil.

      200g de lentilhas
      1 cenoura em rodelas
      1 cebola picada
      2 dentes de alho picados
      2 colheres de sopa de leite de coco (confesso que achei pouco e aumentei para uma caixinha de 200mL)
      1 punhado de coentro fresco
      azeite, sal, pimenta do reino
      juntei louro, tomilho para aromatizar a água de cozimento das lentilhas

      Refogar a cebola e o alho durante alguns minutos com um fio de azeite em uma panela grande. Lavar as lentilhas em água corrente. Juntar 1 litro de água (usei caldo de galinha caseiro, feito aqui) na panela. Juntar as lentilhas e a cenoura e deixar cozinhar por 20 minutos em fogo moderado. Acertar o sal e a pimenta do reino. No final do cozimento, juntar o coentro e passar no liquidificador ou no mixer. Juntar o leite de coco e misturar bem.
      Servir bem quente.




      Eu adoro sopa, sou suspeita para falar...mas essa daqui ficou um espetáculo!!!!!!!

      Frango com iogurte e hortelã e arroz de espinafre

      Desde que eu vi no site da Vânia, do Guloso e Saudável que a hortelã pode se casar bem com o frango, fiquei curiosa, testando receita até chegar nesta aqui.
      Primeiro, suavemente, fiz essas abobrinhas recheadas com ricota temperada com hortelã e manjericão. Gostei bastante, o que me incentivou a fazer esta daqui, desta vez com frango.

      A inspiração da receita, bem como seu acompanhamento é grega. Eu achei neste site aqui, onde tem a entrada também, mas eu não fiz. Eu também adaptei as quantidades. E o frango ao invés de assado, eu fiz grelhado.


      Usei para 4 porções:
      3 peitos de frango cortados em cubos
      2 dentes de alho
      sal, pimenta do reino
      1 fio de azeite

      Misturar tudo e deixar tomar gosto por uns 30 minutos, no mínimo.

      Molho de iogurte:
      200g de iogurte natural
      azeite, sal, pimenta do reino
      hortelã fresca picada
      orégano (não usei)

      Grelhar o frango numa panela sem gordura (ele já tem azeite). Virar quando o lado de baixo estiver dourado para dourar o outro lado. No final, juntar o molho e deixar no fogo mais uns minutos. Servir em seguida com o arroz de espinafre.


      Para o arroz de espinafre, não tem nenhum segredo. Fazer o arroz (usei integral) como de costume, com alho e cebola picada, refogados num fio de azeite. Juntar o arroz até ficar translucido. Juntar a água (duas vezes o volume do arroz). Quando ferver, juntar o espinafre (usei congelado), ou 1 molho de espinafre fresco escaldado.
      A receita dizia para juntar o suco de 3 limões, mas eu juntei as raspas de 1 limão.


      sexta-feira, 25 de maio de 2012

      Mini-pizza de pão sírio (pão pita)

      Hoje não vou publicar uma receita, mas uma dica.

      Todo mundo deve estar cansado de saber como fazer, mas eu publico aqui a minha mini-pizza de pão sírio ou pão pita.

      Primeiro, porque é fácil, rápido, e muito saboroso. Dizem até que a origem do nome "pita" vem de "pizza". Vai saber, né?


      O que é fato é que a forma dele é propicia para fazer mini-pizzas.

      Basta umedecer um pouco a parte superior do pão para não ressecar no forno, juntar uma boa camada de muçarela (uma bola é o bastante para 4 mini-pizzas), umas rodelas de tomate e um pouco de azeite temperado com ervas, como feito aqui e um dente de alho em conserva de azeite amassado (eu não resisti, ele fica muito gostoso para colocar no pão, bem suave).

      Depois é só levar ao forno e deixar o queijo derreter, lembrando que o pão já está assado.

      Perfeito para um petisco, ou uma refeição rápida.


      Bolo de chocolate diet

      Esta receita apareceu aqui com um propósito. Minha mãe é diabética, e para sobremesa ela sempre come uma fruta, ou um iogurte...coisas que são boas, mas depois de um tempo, a gente sente vontade de comer algo mais...digamos...guloso apetitoso.

      Então resolvi fazer este bolo com adoçante culinário para que ela também se delicie com uma sobremesa de chocolate.


      Ingredientes:
      2 ovos
      125g de manteiga
      3 xícaras de chá de adoçante culinário (eu usei 2, mas acho que ficaria melhor com 3)
      2 xícaras de chá de farinha de trigo (usei integral)
      1 xícara de chá de aveia em flocos grandes
      1 xícara de chá de leite
      1 colher de chá de fermento em pó
      1 colher de sopa generosa de cacau em pó (sem açúcar)
      3 colheres de sopa de compota de frutas secas (ameixa e passas) feita aqui

      Na batedeira, começar misturando bem a manteiga amolecida com o adoçante culinário. Juntar os ovos. Adicionar aos poucos a farinha de trigo, a aveia e o leite. Quando estiver bem homogêneo, juntar o cacau em pó e o fermento. Misturar delicadamente.Aquecer o forno a 180°C. Untar uma forma com margarina, polvilhar com farinha de trigo. Deitar a massa na forma, cobrir com a compota de frutas secas e levar ao forno por 40 minutos, ou até que espetando um palito, este saia seco.

      Degustar com um café ou chá quentinho.

      quinta-feira, 24 de maio de 2012

      Lá vem chegando o verão...

      Gente...acabei de ver uma coisa que me deixou muito feliz!

      Olha só a previsão do tempo para os próximos dias, incluindo o fim de semana: sol, sol, sol e mais sol!!! Iuuupi!!

      Fonte Météo France.



      Curry de frango com leite de coco, arroz com lentilha

      Para variar o frango-nosso-de-cada-dia, e mesmo para aqueles que não são muito fãs dessa ave, um tempero diferente pode faz milagres.

      Foi o caso desse tempero de curry com leite de coco, que ficou bem suave, mas mudou a cara do prato. Para acompanhar, arroz com lentilhas bem caprichado. Finalizei o prato com algumas amêndoas torradas. Ficou um prato nutritivo e muito gostoso.


      Para o frango, usei:
      3 peitos de frango cortado em cubos
      1 fio de azeite
      1 fio de óleo de gergelim (opcional, mas ele dá um sabor inigualável)
      sal e pimenta do reino
      1 cebola picada
      1 colher de chá de curry
      200mL de leite de coco
      1 colher de sopa generosa de coentro picado

      Para o arroz com lentilhas, usei:
      1 cebola picada
      2 dentes de alho amassados
      1 folha de louro
      150g de arroz (uma xícara de chá)
      o mesmo volume de lentilhas
      3 vezes esse volume de água fervente
      1 cubo de caldo de galinha

      Começar pelo frango. Cortar os peitos em cubos, bem como a cebola. Num wok, ou panela grande, começar aquecendo o óleo de gergelim com o azeite. Juntar a cebola e deixar dourar. Juntar o frango e esperar que fique branco. Virar os cubos e deixar refogar o outro lado. Quando ele estiver todo branco, juntar o curry e o leite de coco. Quando ferver, baixar o fogo, tampar parcialmente a panela e deixar cozinhar 20 minutos. No final, juntar o coentro picado, misturar bem e desligar o fogo.


      Enquanto isso, levar ao fogo uma panela com azeite. Refogar a cebola até que ela fique transparente. Juntar o arroz e misturar bem até envolver todos os grãos no azeite. Juntar o louro, o alho amassado, as lentilhas, o caldo e a água fervente. Tampar parcialmente a panela e deixar cozinhar até que seque, mexendo de vez em quando.

      Servir o frango com uma porção de arroz com lentilhas.


      quarta-feira, 23 de maio de 2012

      Convidados na cozinha - Mirella - Espetinho de legumes e massa ao molho pesto

      Mais um prato da série convidados na minha cozinha, com Mirella Almeida. Neste post, mostro o prato principal da nossa refeição. Um prato delicioso, nutritivo, saudável, e sem carne. A prova de que é possível fazer um prato chique e vegetariano, que foi aprovadíssimo por todos.


      Espetinho de legumes (berinjela, tomate e cebola) ao forno com massa ao molho pesto. Desta vez o molho pesto não foi caseiro, porque não encontramos manjericão no supermercado. Mas você tiver, a ocasião, faça você mesmo.

      Começamos pelos espetinhos, para 3-4 boas porções.
      1 berinjela
      3 cebolas
      3 tomates
      palitos de churrasco
      azeite, sal, pimenta do reino

      Cortar os legumes em rodelas. Fazer espetinhos alternando as fatias de berinjela, tomate e cebola. Temperar com sal, pimenta do reino, regar com um pouco de azeite. Levar ao forno numa assadeira untada coberta com papel alumínio. Deixar assar por uns 40 minutos.


      Servimos com uma massa verde (com manjericão) ao molho pesto (comprado pronto) com nozes e lascas de parmesão. Uma refeição fácil, prática, chique e com um aspecto muito bom!


      Este post participa da blogagem coletiva, promovida pelo site Larissa, da Camila, da Lidi e da Cassandra com a tema "Receita de amiga".

      Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...