sexta-feira, 29 de março de 2013

Sobremesa rápida de iogurte com goiabada

Eu sou louca por goiabada. E gosto também de receitas práticas. Quando eu vi esta sobremesa de iogurte com goiaba no site M de Mulher, copiei para fazê-la em casa. E como por aqui não tem goiaba fresca, usei goiabada. Eu sempre trago um bom estoque de goiabada cascão quando vou ao Brasil. Desta vez, só precisei do iogurte natural, que eu sempre tenho em casa.



Os ingredientes da receita original:
6 goiabas vermelhas sem casca,cortadas ao meio e sem sementes
1 xícara de chá de água
1/4 de xícara chá de açúcar
2 copos de iogurte natural
1/2 colher de chá de raspas de limão
Folhas de hortelã para decorar

Cortar as goiabas em tiras finas e colocar num refratário. Adicionar a água e o açúcar e levar ao forno micro-ondas em potência alta por dez minutos. Retirar do forno e colocar as goiabas sem a calda numa tigela. Misturar o iogurte e as raspas de limão à calda. Distribuir em taças e dispor as tiras de goiaba. Deixar na geladeira por uma hora. Decorar com as folhas de hortelã.


Eu derreti 150g de goiabada (usei goiabada cascão) com um pouquinho de água no micro-ondas. Deixei 1 minuto de cada vez, misturando a cada intervalo, até a goiabada derreter completamente. Misturei a goiabada com 2 iogurtes de 125g (usei iogurte tipo grego, que é mais espesso e mais cremoso), e as raspas de limão. Despejei a mistura em tacinhas e levei à geladeira até ficar firme.


Ficou bem cremoso, e muito gostoso! Ainda bem que o meu estoque de goiabada está longe de chegar ao fim, e eu vou poder repetir esta receita que é extremamente fácil, rápida e gostosa.

Vou dar uma pause de uma semana no blog (folga!). Volto dia 08/04 com muitas novidades.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Massa com frango, berinjela e tomate seco

Faz tempo que eu não comia uma boa massa. Esta aqui foi o casamento perfeito do saboroso com o saudável. Gosto de juntar legumes aos pratos de massa, não para disfarçar o gosto dos legumes (se bem que para algumas pessoas esta técnica é bem útil), mas simplesmente com o objetivo de consumir mais legumes. Do mesmo jeito que fazemos arroz com legumes, por que não fazer com massas também?

Desta vez usei berinjela grelhada, tomate seco e cebola roxa. E um pouco de ricota para deixar tudo bem cremoso. O prato me fez lembrar as dietas do Mediterrâneo, com os legumes do sol. Acho que foi mesmo a vontade que o sol apareça!


Ingredientes para 3 porções generosas:
300g de massa (usei gravatinha)
250g de frango (usei filé de peito) cortado em fatias ou em cubos
1 berinjela cortada em rodelas
1 cebola fatiada (usei cebola roxa)
alguns tomates secos (os meus era conservados no óleo)
125g de ricota cremosa (pode ser requeijão, cream cheese)
ervas de provença (alecrim, tomilho, orégano, manjericão)
sal, pimenta do reino
azeite

Cortar a berinjela em rodelas, dispor uma camada numa peneira, salpicar sal, colocar outra camada de berinjela, salpicar sal, até terminar a berinjela. Deixar em repouso uns 20 minutos.
Cozinhar a massa "al dente" em bastante água com uma pitada de sal.
Cortar a cebola em fatias. Levar para grelhar numa chapa de ferro, ou frigideira de fundo grosso com um fio de azeite. Reservar. Enxugar a berinjela com um papel toalha. Grelhar na mesma panela que a cebola, dos dois lados, sem juntar mais azeite (porque quanto mais azeite você usar, mais a berinjela vai absorver). Reservar. Na mesma grelha com mais um fio de azeite, juntar o frango. Quando estiver dourado de um lado, virar para assar do outro lado. Salpicar sal, pimenta do reino e ervas de provença por cima. Desligar o fogo quando o frango estiver dourado de todos os lados.
Numa panela (pode ser a mesma onde a massa foi cozida), misturar a cebola e a berinjela (eu cortei as rodelas em pedaços menores) reservadas, juntar alguns tomates secos picados e o frango. Juntar a ricota, misturar tudo. Acertar o sal, a pimenta do reino e misturar com a massa cozida.


Servir quente, e se quiser, salpicar parmesão ralado por cima. Eu esqueci de comprar!


Esta massa ficou deliciosa e a mistura de legumes com frango, fez um prato completo e saudável. Este prato pode perfeitamente ser consumido frio, como uma salada, e é bom para levar na marmita.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Sopa de lentilha vermelha com especiarias e camarão salteado

Mais uma receita de sopa que aparece por aqui. Sei que muitas pessoas nem olham, mas para quem aprecia, acho que é sempre bom compartilhar dicas. Eu gosto muito de sopa, e com o inverno daqui que dura quase 6 meses (apesar de ser oficialmente primavera, as temperaturas continuam próximas de zero graus), não consigo passar sem elas. Elas alimentam, aquecem, são leves, de fácil digestão e muito nutritivas.

Mas como eu sempre faço sopa no jantar, procuro variar para não cair na mesmice. Sopa de legumes variados, cremosas, com pedaços, com leguminosas, com carne, frango, peixe, com massa, aparece de tudo aqui na minha cozinha.

E como eu comprei lentilhas vermelhas recentemente, queria testá-las na sopa. Achei muitas receitas de inspiração indiana com o uso de especiarias como cúrcuma, cominho e gengibre (ou curry para substituir todas as outras), que me deram água na boca, como esta aqui, esta aqui, esta outra aqui, ou ainda esta aqui. E como elas levavam camarão, que eu adoro, não perdi tempo para fazer em casa.

A sopa leva também leite de coco, o que a deixa cremosa e aveludada. Já fiz uma sopa de lentilhas com leite de coco aqui no blog, e ficou gostosa. Mas esta com especiarias ganhou meu coração. E olhe que eu nem estou falando dos camarões para acompanhar, que eu achei bom, mas não essenciais.



Ingredientes:
200g de lentilhas vermelhas (ou outra, da cor que você tiver em casa)
200g de cenoura picada (usei 1 cenoura enorme)
1 cebola picada (usei cebola roxa)
especiarias: alho, gengibre (usei esta pasta de alho e gengibre), cúrcuma e cominho em grãos (pode ser substituído por um curry/caril já pronto, se você não tiver os ingredientes separados, mas não terá o mesmo sabor)
1L de caldo de legumes ou de frango (caldo caseiro, ver como fazer aqui, ou 1 tablete dissolvido em água fervente)
200mL de leite de coco
coentro picado
óleo

Aquecer uma panela grande e refogar rapidamente a pasta de alho e gengibre. Juntar a cebola picada, e as outras especiarias (cúrcuma e grãos de cominho). Deixar murchar um pouco a cebola e juntar a cenoura em rodelas e as lentilhas. Jogar o caldo fervente até cobrir as lentilhas e deixar cozinhar em panela tampada até que a cenoura fique bem macia. Deixar esfriar um pouco e passar tudo no liquidificador. Voltar para a panela, juntar o leite de coco e o coentro picado e aquecer até ferver. Desligar o fogo.


Enquanto isso, saltear os camarões em uma panelinha com um fio de azeite. Servir a sopa com os camarões salteados (opcional e não essencial). A sopa sozinha já é muito saborosa e rica em proteínas. Perfeita para fazer uma boa refeição leve e muito saborosa. Esta foi uma das sopas mais saborosas que eu já fiz.


terça-feira, 26 de março de 2013

Salada quente de cevada e grão de bico

Eu queria apresentar esta receita não somente como mais um prato feito para o almoço aqui de casa, mas o resultado de uma evolução que começou há algum tempo.

Quando eu era pequena, eu não gostava muito de verduras. Nem de carne vermelha, que eu mastigava e cuspia as fibras que ficavam na boca. Mas, para a minha salvação e para diminuir o desespero da minha mãe, eu comia muito bem feijão, arroz, macarrão, cenoura, batata, alface e tomate, e (quase) todas as frutas.

Mas com o tempo, passei a comer cuscuz (de milho), depois macaxeira, inhame, batata-doce, abobrinha, lentilha, espinafre, brócolis, pimentão, cebola... E tudo isso numa evolução continua.

Mas o processo foi lento. Não foi acordar um belo dia e começar a comer espinafre. Para começar, era preciso ter espinafre em casa. E isso não era todo dia. Espinafre fresco era difícil de achar, e começamos a comer em casa numa época que a minha tia estava bem doente, com anemia e carência de ferro. Meus pais compravam espinafre na feira, a gente separava talos e folhas. Depois minha mãe preparava um suflê, ou outro prato com as folhas fresquinhas para levar para ela, e aproveitava e fazia para o pessoal de casa também. E assim, comecei a comer espinafre em casa. No início era uma novidade. E toda criança adora novidade.

A minha irmã participou muito desse processo de me fazer comer verduras. Ela me dava um pouquinho para provar do prato dela. No início eu fazia cara de nojo, mas depois eu gostava do sabor, e passava a comer um pedacinho. Depois, comia mais, e ia me acostumando com o sabor.

Mas o mais importante de tudo isso é que as frutas verduras existiam de verdade lá em casa. Tudo estava presente na hora das refeições, que habitualmente fazemos juntos na mesa, com a TV desligada! E todos comiam um pouco de tudo. Não era do tipo: "nunca vi nem comi mas não gosto". Eu realmente provava antes de dizer se era bom ou não.

E com o tempo, o meu paladar foi evoluindo, eu deixei de ser tão fresca para comer, e comecei a exigir mais cores e sabores no meu prato. Na época da escola/faculdade, quando íamos almoçar em restaurantes self-service, uma grande amiga minha sempre me dizia que o meu prato era tão colorido que dava gosto de comer. Porque os legumes e as frutas dão mais cor a qualquer prato.

Hoje em dia, apesar de trabalhar fora o dia todo, sempre encontro tempo para preparar meu almoço para o dia seguinte e o meu jantar. Algumas pessoas podem reclamar de falta de tempo, por ter filhos, um milhão de atividades. Apesar de não ter filhos, eu também tenho muitas atividades, chego em casa cansada, tenho preguiça, compro comida pronta de vez em quando, como todo mundo. Mas eu defini uma prioridade da minha vida: me alimentar corretamente.

Sempre que posso, compro produtos não transformados, frutas, verduras, carnes, leguminosas. Se eu quero comer um doce ou sobremesa, prefiro fazer em casa. Se quero um prato diferente, prefiro comer em casa, com produtos de qualidade. Atualmente, comida congelada, comprada pronta e pratos preparados não me apetecem. Sabe-se lá o que tem dentro! Esta é a prioridade. Como comida pronta, sim. Mas eventualmente, e não todo dia.

Confesso que eu fiquei chocada com este vídeo Muito Além do Peso. Recomendo a quem puder de assistir. Apesar de longo, 1 hora e pouco, vale a pena! Fico pensando no que estamos comendo, e no que estamos nos transformando. Tantas bebidas, entre refrigerantes e sucos industrializados, biscoitos e salgadinhos, bolos prontos e pratos congelados... qual o futuro para as crianças de hoje?

Estas crianças são os adultos de amanhã. Mas elas são o reflexo dos adultos de hoje. Os pais que só consomem sucos industrializados não deveriam ficar chocados quando o filho não sabe o que é uma uva, ou não reconhece o seu sabor. Os pais que vivem de sanduíches e lasanhas congeladas não devem se espantar quando seu filho confunde um abacate com um pimentão. O exemplo está em casa.

Não quero demorar muito neste assunto, mas acho que a gente tem o poder da informação e da escolha, e que isso é muito mais valioso do que qualquer propaganda na televisão.

E foi pensando nos alimentos não transformados, e com o desejo de provar novos sabores, que eu comprei cevada em grãos para preparar um almoço diferente.


Ingredientes:
100g de cevada
250g de grão de bico já cozido
100g de cogumelos fatiados
2 cenouras cortadas em tiras
1 colher de chá de pasta de alho e gengibre
sal e pimenta do reino
azeite, óleo de gergelim

Cozinhar a cevada conforme as instruções da embalagem (eu fiz em 3 vezes o seu volume de água com uma pitada de sal, como para fazer arroz). Quando a água secar, verifique se ela está macia, se não tiver, acrescente mais água e deixe cozinhar mais um pouco. Quando estiver cozida, desligue o fogo e deixe esfriar.
Em uma panela tipo wok (ou frigideira de bordas altas), aquece um fio de azeite e um pouquinho de óleo de gergelim (somente para aromatizar). Refogue ligeiramente a pasta de alho e gengibre, e junte a cenoura em tiras e os cogumelos. Junte um pouquinho de água, baixe o fogo e tampe a panela, mexendo de vez em quando. Quando a cenoura estiver macia e os cogumelos murchos, junte o grão de bico e a cevada e misture bem. Tempere com sal e pimenta do reino e sirva à seguir.


Este prato foi servido lá em casa como prato único no almoço, mas pode ser servido como uma entrada, uma salada quente, ou um acompanhamento de um peixe ou frango grelhado para uma refeição leve e saudável. Garanto que o prato satisfaz completamente, e dá para aguentar até o jantar (comendo uma fruta entre os dois).

Para quem quiser ver, o vídeo está aqui:


segunda-feira, 25 de março de 2013

Peixe assado com tahine

Uma sugestão rapidinha para preparar um peixe, dando um sabor bem diferente. A receita é libanesa, veio daqui, e usa um dos ingredientes mais usados na cozinha do Líbano, o gergelim (sésamo). O gergelim entra nesta receita em forma de pasta, o tahine, também conhecido por seu uso para aromatizar o homus, a pasta de grão de bico.

Fica aqui uma boa sugestão para Páscoa que eu levo para o Mural de receitas de Páscoa da minha querida Aninha, do blog Ana Cláudia na Cozinha. Uma receita diferente e saborosa.


A receita pede:
3 filés de peixe (usei um filé grande de 500g)
2 cebolas em rodelas
3 colheres de sopa de tahine
suco de 2 limões
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de cominho em pó
3 colheres de sopa de azeite
sal, pimenta do reino

Arrumar as rodelas de cebola em uma travessa. Misturar a canela, o cominho, o azeite, o sal e a pimenta e regar a cebola. Preaquecer o forno. Dispor o filé de peixe sobre a cama de cebola. Dissolver o tahine com o suco de limão e meia xícara de água (para que não resseque no forno). Regar o peixe com o molho de gergelim e limão (eu salpiquei um pouco de cominho por cima). Levar ao forno até assar.



Eu servi com couve de Bruxelas cozida com água e sal, depois refogada com azeite, e pimenta do reino moída na hora por cima de tudo.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Torta de ricota com goiabada

Quem não gosta da combinação queijo com goiabada? Eu adoro! O melhor é que o nosso querido "Romeu e Julieta" pode ser transformar no que a gente quiser: pastel, bolo, torta, pavê, pudim...

Quando eu vi esta torta de ricota com geleia de damasco da Marisa Vlasic, do blog Terapia do Sabor, eu sabia que aqui em casa ela teria uma outra cobertura, a de goiabada. Eu resolvi fazer tipo um cheesecake de goiabada, usando uma base de biscoito. Primeiro porque eu gosto do contraste de texturas: o crocante do biscoito e macio do creme de ricota. Depois, o contraste de sabores: o doce da goiabada com o salgadinho (nem tanto) do queijo. E finalmente, porque eu comprei uma forma com aro removível e eu queria testá-la!

Confesso que foi uma aventura, e o primeiro resultado não ficou tão bom quanto eu esperava. Mas depois de algumas modificações, a torta ficou perfeita!

Esta é a versão perfeita...



Esta foi a minha primeira tentativa.



Passo aqui a receita da Marisa:
500g de ricota (na primeira tentativa usei somente 250g, era o que eu tinha em casa, mas fica melhor com 500g)
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 colher de sopa de manteiga
1 lata de leite condensado
1 medida lata de leite
3 gemas (claras separadas)

Para a base (por minha conta):
100g de biscoito (na primeira tentativa eu usei o resto de um pacote, mais do que 100g, e a base ficou grossa demais)
50g de manteiga
Triturar o biscoito até formar uma farofa. Misturar com a manteiga gelada em pedaços, até que a manteiga se misture com o biscoito. Usar esta massa para forrar uma forma com aro removível, apertando bem. Levar ao forno por 5 minutos, olhando de vez em quando e com cuidado para não queimar.

Bater os ingredientes no liquidificador ou com um fouet (usar somente as gemas nesta etapa). Bater as claras em neve, e misturar com o creme. Deitar o creme na forma e levar ao forno até assar totalmente (fazer o teste do palito).

Na minha primeira tentativa, na hora de colocar o creme na forma, descobri um problema. A forma tinha um minúsculo buraco (um defeito no encaixe do fundo com a lateral da forma), pelo qual o creme vazou. Felizmente eu coloquei a forma de aro removível sobre uma outra assadeira, senão teria sido um desastre na cozinha. Assei desta forma, esperando que o creme ficasse firme para que ele parasse de escorrer. O creme que vazou formou uma coroa em volta da assadeira que eu comi ainda quente, estava delicioso. Da segunda vez, eu forrei a forma com papel manteiga para não ter outras surpresas.



Quando a torta esfriou, cobri tudo com goiabada derretida (no micro-ondas, a goiabada cascão com um pouquinho de água, na potência média, 1 minutos de cada vez, mexendo a cada intervalo, até derreter completamente). E a torta voltou à geladeira até o momento de servir. A goiabada ficou cremosa, mas não escorreu quando a torta foi partida.


Achei a base muito grossa. Da segunda vez usei menos biscoitos e a ricota toda da receita, para ela ficar bem alta. Apesar dos pesares, a primeira receita fez sucesso. Meu namorado até pediu para que eu fizesse uma para levar para a casa de uma amiga dele, que nos convidou para almoçar.

**************************

Mostro aqui a segunda versão da torta, com as modificações acima: base de biscoitos mais fina, receita completa com 2 potes de ricota, e colocando papel manteiga na forma.

O resultado ficou perfeito e a torta, deliciosa!


A massa ficou gostosa, o recheio de ricota ficou bem aerado, não ficou enjoativo, e a goiabada por cima ficou uma delícia. 

quinta-feira, 21 de março de 2013

Salada de lentilha vermelha com salmão defumado

Um dia desses, visitando uma loja de produtos orgânicos / biológicos, achei lentilha vermelha por um preço excelente. Não pensei duas vezes, comprei!

Depois, procurando receitas, achei esta salada no blog Dedo de Moça, com salmão defumado e limão, que me pareceu muito boa. Eu acrescentei cenoura e cogumelos picados e mais uns temperinhos que eu tinha em casa (cebola, alho). Gostei bastante do resultado.



Ingredientes:
200g salmão defumado
1 cebola picada (usei cebola roxa, mas pode ser a normal)
2 dentes de alho picados
100g de cogumelos picados
2 cenouras em cubinhos
150g de lentilha vermelha (ou qualquer outra lentilha)
suco de meio limão
endro (conhecido como aneto ou dill - usei desidratado, pode usar salsa picada)
azeite
sal, pimenta do reino

Cozinhar a lentilha e a cenoura na água com uma pitada de sal. Escorrer quando a lentilha estiver macia, mas ainda firme (eu deixei tempo demais, ela ficou se quebrando).
 

Refogar a cebola picada, juntar o alho e os pés do cogumelos picados. Refogar até murchar um pouco a cebola. Juntar os cogumelos picados (desta vez, os chapéu) e refogar mais um pouco em fogo baixo com a panela tampada por mais 5 minutos. Juntar a lentilha e a cenoura escorridas, o suco de limão, salpicar o endro, sal e pimenta do reino e misturar bem.

Servir a salada de lentilha vermelha morna misturada com pedaços de salmão defumado. E ainda fica perfeita para levar na marmita.

E por falar em marmita, criei um novo tag "marmita" para as receitas. Este tag indica que as receitas podem ser consumidas mornas ou frias, como tortas e saladas, ou então ficam boas quando aquecidas no micro-ondas.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Carne acebolada ao vinho tinto, batata e cenoura ao creme de cominho

A Rachel, do blog Na Biroskinha, fez um dia uma carne acebolada ao vinho tinto que me deixou com água na boca. Como eu gosto muito de usar vinho na cozinha (e também de beber uma tacinha de vez em quando), achei a receita muito boa. Anotei, e somente agora eu pude fazê-la em casa.


Passo aqui os ingredientes que ela usou:
2 bifes de miolo de alcatra
1 cebola em rodelas
2 colheres de sopa de manteiga + azeite
1 colher de café de tomilho seco
1/2 colher (sopa) de salsa fresca
1/2 xícara de vinho tinto
1 colher (chá) de amido de milho
Sal e pimenta do reino

Eu usei:
400g de carne em fatias finas (não sei se era alcatra, pois aqui os cortes não são os mesmos, mas era uma carne bem macia)
2 cebolas em rodelas
azeite
1 colher de sopa rasa de mostarda
1/2 tablete de caldo de carne esfarelado (não usei salguei mais, o sal do caldo é suficiente)
150mL de vinho tinto

Aquecer o azeite em uma frigideira, fritar os bifes, temperando-os com sal e pimenta do reino. Reservar. Na mesma panela, junte mais azeite, se necessário, e as rodelas de cebola. Deixe dourar em fogo alto, até dourar. Colocar a mostarda, o tablete de caldo de carne esfarelado, o vinho e deixar evaporar bem e reduzir, misturando de vez em quando. Quando o molho estiver mais encorpado,  juntar a carne de volta na panela e envolver com o molho.



Eu servi este prato com legumes (batata e cenoura) ao creme de cominho (cominho em grãos). Ficou delicioso! O original é uma receita muito tradicional daqui da França, cozinha da vovó mesmo, somente com cenoura. Mas eu juntei umas batatas também.

Basta cozinhar a cenoura em rodelas (e as batatas em cubos), escorrer. Numa panela sem nenhuma gordura, aquecer uma boa pitada de grãos de cominho (o cominho em grãos tem sabor mais suave do que o cominho em pó, mas se você não tiver em grãos, pode ser em pó, mas bem pouquinho), e deixar esquentar para soltar todos os aromas. Juntar um fio de azeite e os legumes escorridos e salteá-los ligeiramente. Juntar um pouco de creme de leite, mexer tudo, aquecer até o creme começar a borbulhar. Servir imediatamente.


Os legumes ficaram muito saborosos, o cominho deixou o creme muito saboroso. A carne ficou deliciosa, como esperado, e o molho de vinho ficou um espetáculo. Obrigada Rachel, por compartilhar a dica!

terça-feira, 19 de março de 2013

Massa com salame e alho-poró

Vou apresentar hoje um prato de massa simples, mas muito saboroso. Daqueles que podem ser feitos rapidamente quando chegamos em casa com pressa e com fome, e para pessoas que apreciam a cozinha prática. Vi esta receita no blog da Oslaine, o Fazendo Arte.


Ingredientes:
500 gramas de macarrão (usei 100g)
3 colheres (sopa) de óleo (não usei)
200g de salame picado (usei 50g de chorizo espanhol suave)
*2 dentes de alho picados (juntei por conta própria)
2 xícaras de alho-poró picado (usei 1 xícara de chá, somente a parte branca)
sal e pimenta a gosto
1/2 limão espremido
queijo parmesão ralado a gosto

Cozinhar o macarrão, escorrer e reservar. Na mesma panela, colocar o salame picado (eu não juntei óleo, a gordura do próprio salame foi suficiente, e juntei o alho picado por minha conta). Juntar o alho-poró picado e deixar alguns minutos e refogue até que ele murche. Acerte o sal, junte a pimenta do reino e misture com o macarrão reservado e o suco de limão. Misture bem e sirva em seguida.


Receita simples e muito saborosa, do jeito que eu gosto. Se quiser, salpique queijo parmesão ralado por cima no momento de servir.


segunda-feira, 18 de março de 2013

Bolo de pera com chocolate

A nossa BC deste mês de março tem por tema a fruta Pera. E por ser uma das minhas frutas preferidas, eu fiquei muito feliz em preparar esta receita.

Primeiro, procurei várias receitas de bolo ou torta de pera com chocolate. Muitas delas eram boas, mas eu tive uma queda por esta aqui, da Carla Maicá do blog Cucina Artusiana, a torta de chocolate e peras.  O que me atraiu nesta torta foi o uso da farinha de amêndoas, que eu adoro. E como eu fiz este bolo de amêndoas, e esta variação com coco, eu tinha certeza que ia ficar bom. Não usei a massa, fiz somente o recheio com as peras. Alterei um pouquinho a receita. Quem quiser ver a original, pode ir conferir no blog dela.

Como eu já fiz uma torta de peras parecida (sem chocolate), e usei o mesmo recheio de creme de amêndoas para fazer estes bolos de amêndoa (ou bolo frangipane), decidi usar somente o recheio da torta de chocolate com pera. E ficou um bolo delicioso, úmido e fofinho.



Ingredientes para as peras cozidas:
4 peras
1L de água
1 pau de canela
2 vagens de cardamomo
3 cravos (ou outras especiarias ao seu gosto)

Cortar as peras ao meio, retirar as sementes e a casca.  Levar ao fogo uma panela com água, a canela, os cravos e as vagens de cardamomo abertas (cortar ao meio com uma faca). Quando ferver, mergulhar as peras e deixar cozinhar por 5 minutos, ou até que fiquem macias. Escorrer as peras, reservar a calda.

Ingredientes do bolo:
150g de manteiga amolecida
150g de açúcar
200g de farinha de amêndoa
4 ovos
100g de farinha de trigo
1 colher de sopa rasa de fermento em pó 
50mL de calda de cozimento das peras
1 colher de sopa cheia de cacau em pó 
1 pitada de gengibre em pó
1 pitada de baunilha

Numa tigela, bater a manteiga com o açúcar até formar um creme. Acrescentar os ovos, 1 a 1, batendo bem a cada acréscimo. Juntar a farinha de amêndoas aos poucos, a farinha de trigo, e alternando com a calda do cozimento das peras. Juntar o chocolate, o gengibre e a baunilha e misturar tudo. Juntar o fermento e misturar delicadamente.

Deitar a massa numa forma untada e enfarinhada. Arrumar as metades de pera por cima e levar ao forno até assar completamente (teste do palito).


Este bolo é uma delícia tanto quente quanto frio. Eu aproveitei a calda usada para cozinhar as peras (a infusão de canela, cardamomo e cravo), e servi como chá quentinho e perfumado...



 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Pasta de avelãs e chocolate, ou Nutella caseira


E finalmente, consegui! Mudei um pouco a receita, pois preferi um pouco mais doce. Apresento aqui a receita original com as minhas modificações.


Ingredientes:
60g de avelãs
50 de cacau em pó
50 de mel
80mL de leite (no máximo)
*acrescentei um pouco de leite condensado (100mL)

Torrar as avelãs. Processar as avelãs, reduzindo-as em purê. Depois dos pedaços, vem o pó, depois do pó, vem o purê, meio líquido mesmo (confesso que no meu processador, eu não consegui passar da etapa de pó, não cheguei na textura de purê, mas deu certo ainda assim). Juntar o cacau, o mel e depois o leite, até a consistência desejada (dependendo dos ingredientes, talvez você não precise do leite todo, junte-o por último e progressivamente). Juntar uma pitada de sal.


Depois que eu provei, descobri que o meu paladar ainda não está acostumado a tão pouco açúcar. Fui juntando leite condensado aos poucos (uns 100mL) até dar o sabor desejado.


Esta pasta se conserva muito bem alguns dias na geladeira. Eu fiz o dobro da receita, exagerada. Uma receita rende aproximadamente 1 pote de 300mL. Eu fiz uma para mim e uma para dar de presente.



quinta-feira, 14 de março de 2013

Tortilla recheada

Ainda usando as tortillas mexicanas (prefiro as de milho), preparei estas aqui para o jantar. Nos dias em que a gente não quer perder tempo, ter alguns ingredientes na despensa ajuda bastante.


Ingredientes:
tortillas (usei de milho)
molho de tomate (opcional, eu usei Pesto Rosso)
presunto
ovo frito
queijo cremoso (catupiry, requeijão ou outro)
alface

Numa frigideira antiaderente, fritar o ovo com um pouco de manteiga. Na mesma frigideira, aquecer o presunto e reservar. Ainda na mesma frigideira, aquecer a tortilla dos dois lados. Dispor a tortilla num prato, espalhar um pouco de molho de tomate (usei pesto rosso). Colocar por cima o presunto e o ovo reservados, e juntar uma colher de queijo cremoso. Juntar algumas folhas de alface, dobrar ou enrolar e degustar quente.


Esta também é uma boa sugestão para quem (como eu) leva marmita para o trabalho.



 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável. 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...