terça-feira, 30 de abril de 2013

Salada de macarrão com legumes marinados para um pique nique

Por aqui a primavera começou a dar seus sinais. O sol começou a brilhar, o casaco grosso de inverno já foi abandonado, e é tempo de sair para saudar o sol.

Foi o que eu fiz no domingo. Fui passear na beira do rio Sena perto de Fontainebleau (tem um castelo belíssimo por lá, no estilo do Castelo de Versalhes), andar um pouco pela floresta, respirar ar puro... e fazer um pique nique.

Para isso, na véspera eu preparei umas comidinhas leves para levar. Fiz o bolo caprese que eu mostrei aqui (bolo simples de iogurte, mas salgado, com molho pesto, tomate seco e queijo), e preparei esta salada de macarrão com legumes marinados. De sobremesa, fiz um brownie de chocolate com nozes, que mostro amanhã.

A salada ficou bem leve, saborosa, com cara de verão mesmo. Alimentou bem, sem nos deixar pesados.


Ingredientes:
1 berinjela
2 abobrinha
1 pimentão vermelho
1 pimentão amarelo
50g de azeitonas
200g de queijo feta (pode ser qualquer outro queijo branco)
50g presunto cru (opcional, pode ser presunto cozido)
200g de massa curta cozida (usei gravatinha - farfale)

Molho vinagrete:
2 colheres de sopa de azeite
4 colheres de sopa de vinagre balsâmico
tomilho desidratado
sal, pimenta do reino

Na véspera:
Descascar as abobrinhas e as berinjelas e cortá-las em fatias (cortar as abobrinhas em fatias grossas para que não desmanchem). Cortar os pimentões em fatias. Arrumar os legumes em uma assadeira coberta com papel manteiga, de forma que eles não fiquem sobrepostos. Arrumar de tal forma que as fatias de pimentão fiquem com a casca para cima. Regar tudo com um leve fio de azeite e levar ao forno para assar.
Retirar os legumes do forno quando a pele do pimentão estiver escura e enrugada. Colocar o pimentão num recipiente tampado por 10 minutos. Abrir o recipiente e retirar a pele do pimentão (desta forma, a pele sai facilmente). Colocar todos os legumes frios no recipiente, juntar as azeitonas, o queijo feta em cubos. Em uma tigelinha, misturar o azeite, o vinagre, o tomilho, o sal e a pimenta do reino. Regar os legumes com o molho vinagrete e deixar na geladeira de um dia para o outro.


No dia:
Cozinhar o macarrão (usei massa curta, gravatinha) para que fique "al dente". Passar na água fria para interromper o cozimento. Misturar o macarrão com os legumes, acrescentar pedaços de presunto (usei presunto cru) e misturar tudo delicadamente. Voltar à geladeira. Servir frio.

Este prato pode ser feito para um pique nique, ou para levar na marmita para o trabalho.


segunda-feira, 29 de abril de 2013

Bolo salgado caprese

Este bolo salgado apareceu lá em casa num dia em que eu estava precisando de um pouco de sol. Este bolo com cara de verão lembra uma salada caprese, com tomate, queijo e manjericão. Os tomates frescos ainda não estão bons, por falta de sol. Por isso usei os secos.



Quando o verão chegar, trazendo consigo bons tomates, vou voltar a fazer tomates secos caseiros, como eu mostrei aqui.


Ingredientes:
2 potes de iogurte (2 x 125g)
1 pote de óleo (usei o óleo do tomate seco)
4 ovos
3 potes de farinha de trigo
1 colher de sopa generosa de molho pesto (comprado pronto ou feito em casa - ver receita aqui)
200g de queijo em cubinhos (muçarela, queijo prato, ou outro queijo firme ao corte)
tomate seco picado (se quiser fazer em casa, veja receita aqui)
1 colher de sopa de queijo parmesão ralado
1 colher de chá de fermento em pó
1 pitada de sal (não usar se o queijo parmesão for muito salgado)

Misturar o iogurte com o óleo, até a mistura ficar homogênea. Incorporar os ovos, de um em um, mexendo sempre. Juntar a farinha aos poucos, até a massa fica lisa. Juntar o fermento em pó, o sal e o queijo ralado e misturar delicadamente. Por fim, juntar o molho pesto, o queijo e o tomate seco picados.
Deitar a massa numa forma untada (eu usei uma forma forrada com papel manteiga), salpicar uns pedacinhos de tomate seco por cima e levar ao forno preaquecido até assar completamente.


Este bolo é perfeito para um pique nique no campo, na praia, no jardim ou mesmo no sofá da sala. Ele desaparece em um passe de mágica. Uma boa ideia para servir de petisco quando os amigos vierem jantar. Ele pode ser preparado na véspera, e servido cortado em quadrados ou em fatias.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Sopa de abóbora e alho assados

A primavera chegou faz alguns dias, mas o frio ainda não foi embora. As sopas continuam presentes na minha mesa.

Desta vez, resolvi experimentar uma sopa com a famosa abóbora assada, parecida com a que eu vi no blog Technicolor Kitchen (sopa de abóbora assada com manjerona). E agora eu me pergunto por que eu não fiz esta sopa antes! A sopa ficou bem consistente, e o sabor é realmente mais concentrado do que com a abóbora cozida.

Para completar, ao mesmo tempo que assei a abóbora , assei alguns dentes de alho. Eu gosto muito do sabor adocicado do alho assado, por isso resolvi juntar nesta sopa. A Lylia, do Simples Assim já fez alho assado para petisco, o Rodrigo do Vivendo para Comer usou em um risoto e a Fê, do blog da Fê Dayrell, fez este filé ao molho de alho assado que ficou divino. Vale a pena conferir as receitas.



Ingredientes:
800g de abóbora
400g de batata
dentes de alho com casca (eu usei uns 8, mas fica a critério de cada um)
1 alho-poró (parte branca) fatiado (pode ser 1 cebola)
100g de cogumelos picados (opcional, eu usei porque tinha em casa)
azeite
sal, pimenta do reino, tomilho
creme de leite para servir

Descascar e fatiar a abóbora. Dispor numa assadeira junto com o alho e levar ao forno até a abóbora ficar macia. Enquanto isso, cozinhar as batatas descascadas e picadas em água com uma pitada de sal. Amassá-las quando ainda estiverem quentes. Quando a abóbora estiver macia, desligar o forno e retirar a assadeira. Descascar o alho. Passar no liquidificador a batata espremida junto com a água do seu cozimento (até dar um ponto cremoso), a abóbora e o alho.


Numa panela grande, refogar o cogumelo picado e o alho-poró no azeite. Juntar a mistura do liquidificador e aquecer até ferver.


Servir a sopa com uma colher de creme de leite.


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Chips de abobrinha

Chips de abobrinha não é novidade nos blogs de culinária. Várias versões são possíveis, dependendo do tempo e da disposição que se tem.

Alguns fazem abobrinha chips no forno: como a Fabi do Figos e Funghis, a Katita, do Pitéu e o Leandro do Cozinha Pequena. Outros mais ousados, usam o micro-ondas, como a Flávia do Eventos Inventos. Os mais apressados, usam a frigideira grossa ou a chapa sem gordura, como a Sandra, a nossa Bruxa do Caldeirão Solar.

Eu sou do time dos apressados, resolvi fazer minhas abobrinhas chips na frigideira.


Basta fatiar as abobrinhas bem finas (eu não fiz as fatias tão finas assim) e arrumar as fatias numa chapa quente, ou uma frigideira de fundo grosso, sem usar nenhuma gordura. As abobrinhas vão perder a água, vão ficar fininhas, douradas e deliciosas.


Depois é só salpicar um fio de azeite, sal e servir. Estes chips de abobrinha são bons para petisco.

Eu servi como acompanhamento de uma carne acebolada (na verdade um hambúrguer, somente a carne). Grelhei-o na mesma chapa (ainda sem gordura) dos dois lados. Juntei um fio de azeite, bastante cebola fatiada, um fio de molho de soja e deixei caramelizar tranquilamente. Depois na mesma panela com mais um fio de azeite, dourei umas batatinhas (batata bolinha) cozidas no vapor.


E olha aqui um almoço bem saboroso. Fica bom também na marmita!


quarta-feira, 24 de abril de 2013

Sopa de queijo com legumes

Sim, sopa de queijo. Isto é possível, e nem fica muito calórica (260 calorias por porção). Mas para isso, a ideia é juntar legumes leves, como abobrinha, pimentão e alho-poró (ou ainda brócolis e couve-flor).

A primeira vez que eu provei esta sopa, foi uma amiga minha alemã que preparou. Ainda éramos estudantes, e, nas festinhas, os pratos servidos aos amigos eram sempre simples e baratos. E as sopas eram perfeitas para aguentar o frio.

Quando eu provei a sopa, fiquei maravilhada. Outro dia, tive a ocasião de ajudá-la a preparar. E a receita ficou gravada na minha memória, esperando uma oportunidade de fazê-la em casa.



A ideia é refogar os legumes (de preferência leves, para facilitar a digestão), usando bacon ou não (o bacon dá um sabor a mais, mas pode ser dispensado, ou trocado por presunto, frango desfiado ou peito de peru defumado). Depois, cozinhar tudo com um bom caldo caseiro (eu usei caldo de galinha caseiro). No final, juntar o queijo cremoso, aqueles triângulos - ou quadrados no Brasil - que são empacotados em papel laminado, os famosos ou a versão genérica (usei a versão genérica mais barata).

A sopa fica deliciosa, substanciosa, e agrada a todos! Acho que é uma boa forma de fazer as crianças comerem legumes!

Ingredientes para 4 porções (aproximadamente 260 calorias por porção, que varia em função do queijo utilizado):
2 abobrinhas (uns 500g) picadas em cubinhos
2 pimentões (300g) picados em cubinhos (usei um grandão vermelho e um verde pequeno - prefiro o sabor do pimentão vermelho, mas pode ser qualquer um)
1 alho-poró (300g) (parte branca) picado (se não tiver, use 1 cebola grande picada)
alguns pedaços da parte verde do alho-poró inteiros (para poder retirar quando a sopa estiver pronta)
100g de bacon picado (opcional, pode ser presunto de peru defumado, frango desfiado, etc.)
2 tomates (200g) sem pele (ou meia lata de tomates pelados, sem o suco)
1L de caldo de galinha caseiro (ver receita aqui)
de 150 a 200g de queijo cremoso (pode ser o queijo de triângulos, de quadrados, requeijão de copo, ou catupiry), em função da cremosidade do queijo e do seu gosto no resultado final da sopa
sal, pimenta do reino

Refogar o bacon na sua própria gordura. Juntar o alho-poró e refogar até que ele murche. Juntar o pimentão e deixar refogar.


Juntar a abobrinha picada, o caldo, a parte verde do alho-poró e deixar cozinhar até que a abobrinha fique macia (uns 10 minutos, é bem rápido). Retirar a parte verde do alho-poró, baixar o fogo, juntar o queijo cremoso e deixar derreter, mexendo de vez em quando. Acertar o sal e a pimenta do reino.


Servir quente, com pimenta do reino moída na hora por cima, e com fatias de pão tostado para uma refeição completa. Eu servi com uns palitos torcidos de massa folhada comprado pronto, mas podem ser feito em casa também.



terça-feira, 23 de abril de 2013

Arroz de pato

Eu gosto muito de carne de pato. Sempre compro coxas e sobrecoxas em forma de "confit", ou o peito (magret). Comprei coxas e sobrecoxas para cozinhar em casa somente uma vez. Tentei fazer no forno, mas a carne é mais dura do que carne de frango, e não cozinhou o suficiente. Eu não gostei do resultado. Quando eu fizer de novo e ficar gostoso, trago a receita para o blog.

Esta semana me deparei com estas belas coxas e sobrecoxas de pato no supermercado. Desta vez eu comprei já sabendo que ia cozinhá-las fazendo um caldo caseiro para preparar um belo arroz de pato, receita tradicional portuguesa. A receita que eu usei foi adaptada desta receita aqui, e eu peguei no blog da minha querida Beth (Os Sabores da Beth), que faz tantas coisas gostosas, entre pratos franceses e portugueses, sempre com as fotos do passo a passo, tudo bem explicadinho.



Matei o meu desejo de comer arroz de pato feito em casa! Obrigada, Beth, por compartilhar uma receita tão deliciosa!

Quem não tiver ou não gostar de carne de pato, pode fazer com galinha caipira. Ela geralmente é mais firme e deve ficar bem nesta receita.

Ingredientes para o caldo de pato:
2 coxas e sobrecoxas de pato*
óleo (ou gordura de pato)
1/2 talo de alho-poró  (parte branca) cortado em rodelas
3 cenouras em rodelas
1/2 pimentão vermelho picado
200mL de vinho branco seco
4L de água fervente
2 folhas de louro
alho-poró (parte verde - usar as folhas mais bonita, cortando a parte de cima)
ervas secas (usei tomilho e alecrim)
* quem quiser, pode fazer o mesmo caldo com com frango caipira ou peru

Dourar as coxas e sobrecoxas de pato no óleo (eu usei a sua própria gordura) de todos os lados. Se a panela não for grande o suficiente, dividir em duas partes. Quando o pato estiver bem dourado, juntar o alho-poró. Deixe refogar bem, até murchar. Juntar o pimentão, a cenoura picada e o vinho branco. Deixar evaporar o vinho, e juntar bastante água fervente (uns 4L ou mais). Juntar o alho-poró (parte verde), o tomilho, o louro e o alecrim. Tampar a panela e deixar cozinhar lentamente em fogo baixo, até que a carne fique bem macia, se desmanchando (lá em casa eu deixei umas 2h). Desligar o fogo e deixar esfriar.
Quando estiver frio, remover a gordura que se acumula na superfície do caldo. Retirar as coxas e sobrecoxas, desossar, retirar a pele e a gordura, e desfiar a carne. Filtrar o caldo e reservar (eu usei os legumes picados e o resto do caldo para fazer uma sopa).


Ingredientes para o arroz de pato:
2 xícaras de arroz cru
1 cebola picada
1/2 talo de alho-poró  (parte branca) cortado em rodelas
1 linguiça defumada (portuguesa, calabresa, ou chouriço) cortada em rodelas
carne de pato cozida (no caldo feito acima) e desfiada
4 xícaras de caldo de pato (feito acima)

Em outra panela, aquecer um pouco de óleo (ou gordura de pato) e dourar a cebola picada junto com
o alho-poró e a linguiça em rodelas. Quando a cebola dourar, juntar a carne do pato desfiada e o arroz. Misturar bem e cobrir com o caldo. Quando ferver, abaixar o fogo e deixar cozinhar mais 5 minutos.


Aquecer o forno. Dispor todo o conteúdo da panela num refratário (lembrando que o arroz ainda não está totalmente cozido) e levar ao forno até secar a água.


Servir bem quentinho, com um bom vinho tinto português.


segunda-feira, 22 de abril de 2013

Maionese Caseira no Mixer

Desde pequena, eu detesto o gosto da maionese. Sempre fugi dos pratos com maionese, como salada de batata, sanduíches com molhos e etc. Lá em casa, salpicão e outros pratos similares eram feitos com creme de leite por minha causa. Ou então eu ganhava uma porção à parte sem maionese.

A ausência da maionese nunca me deixou traumas. Me acostumei sem comer e nunca senti falta.

Até que um dia eu provei uma maionese caseira na casa de uma senhora francesa, daquelas que cozinha tão bem que você come o prato mesmo sem gostar dos ingredientes. E a tal maionese me surpreendeu. Nem um pouco parecida com aquela coisa mal cheirosa comprada em potes de vidro.

E provei outro dia num jantar de Natal, servida com camarão cozido. Maionese feita minutos antes de ser servida. E desta vez eu vi o preparo. Levava mostarda de Dijon, aquela ardidinha. Ficou muito boa.

De lá pra cá, fiz 3 tentativas em casa. As duas primeiras não deram certo. Tentei fazer na batedeira, com o batedor de arames (fouet) e não deu certo. Foi então que eu vi no blog da tão simpática Isabel, Brisa Marítima (tem coisas deliciosas por lá), uma maneira infalível de fazer maionese caseira: usando o mixer!  E para a minha felicidade, em 2 minutos eu tinha uma maionese caseira saborosa e fácil de fazer.

Obrigada, Isabel, por compartilhar esta dica. Vai lá no blog da Isabel que tem o passo a passo da receita.


Ingredientes:
250 ml de óleo vegetal (usei metade óleo de girassol, metade azeite)
1 ovo
1 colher de chá de mostarda ou suco de limão se preferirem (usei 2 colheres de chá de mostarda de Dijon)
sal, pimenta
1 dente de alho picado (opcional)
ervas aromáticas a gosto (opcional)

Desta primeira vez, preferi não usar nem alho nem ervas aromáticas, para sentir o sabor da maionese de verdade. Nem temperei com sal e pimenta. Usei somente os 3 primeiros ingredientes.
Colocar os ingredientes num recipiente estreito, do tamanho do mixer (eu usei o potinho que vem com o mixer, um tubo estreito e alto, apenas largo o suficiente para que o mixer possa entrar).

Colocar o mixer no pote, encostá-lo no fundo do recipiente e ligar. Não levantar o mixer durante os primeiros segundos. Quando a maionese começar a ficar firme, levantar o mixer delicadamente, para misturar o óleo que fica na superfície. A maionese fica pronta e bem firme rapidinho, num passe de mágica.

Claro que podemos variar os sabores, juntando alho, ervas, o que mais a criatividade mandar. Mas agora ninguém tem mais desculpa para comprar maionese de pote de vidro, tendo esta tão fácil de fazer e muito mais saborosa!

E para quem não tem mixer, dizem que no liquidificador também funciona, mas tem que juntar o óleo devagar, em fio, até dar o ponto.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Omelete de batata

Quem não gosta de uma boa omelete, quentinha, feita a hora, para fazer uma refeição rápida?

E se ela tiver umas rodelas de batata, cebola fritinha e uns pedacinhos de queijo, basta uma salada de folhas verdes para completar o jantar.

Foi o que aconteceu semana passada. Preparei o jantar rapidinho com esta omelete de batata com queijo. A ideia era fazer uma "tortilla" espanhola, ou uma "frittata" italiana. Mas eu nem virei a omelete, nem terminei de assar no forno. Fiz tudo na frigideira mesmo. Uma boa frigideira com o fundo grosso, as bordas altas e antiaderente. E fogo baixo e um pouco de paciência para esperar que a omelete cozinhe tranquilamente.

Simples e delicioso.


Ingredientes:
1 cebola picada
3 batatas médias cozidas (sem casca e cortada em rodelas)
200g de queijo cortado em cubos
4 ovos
pimenta do reino, sal
óleo, manteiga

Começar cozinhando as batatas descascadas e cortadas em rodelas (eu fiz no vapor), até que elas fiquem macias, mas ainda firmes. Reservar. Numa frigideira grande antiaderente, fritar a cebola em um pouco de manteiga até que fique dourada. Arrumar as rodelas de batata na panela. Quebrar os ovos em uma tigela, bater com um garfo, juntar o sal e a pimenta do reino. Deitar os ovos sobre as batatas, virando a panela para espalhar bem a omelete pelas bordas. Adicionar os cubos de queijo por toda a omelete. Manter o fogo baixo durante todo o tempo, e deixar a omelete cozinhar, até que a parte superior esteja firme. Se quiser, virar a omelete com a ajuda de um prato quando ela estiver com a parte de baixo firme (eu não virei).


Servir com uma salada de folhas, ou com o acompanhamento de sua preferência.


quinta-feira, 18 de abril de 2013

Salada de frutas ao licor

Para a BC deste mês, com o tema frutas cítricas, resolvi fazer uma salada de frutas. Mas uma salada de frutas para adultos, regada com suco de laranja e licor.

Aproveito e participo ao mesmo tempo do projeto "A escolha do ingrediente" do blog Tertúlia da Susy. O ingrediente deste mês é morango.


Esta é só uma ideia para dar um toque diferente à salada de frutas tradicional que todo mundo faz em casa. Para isto, basta regar a salada de frutas com duas doses de suco de laranja e uma de licor (ou creme) de fruta e deixar macerar algumas horas na geladeira antes de servir.


Para a salada de frutas eu usei: banana, morango e laranja, tudo bem picadinho.
Para a calda, eu usei: suco de laranja natural (2 volumes) e creme de cassis (1 volume). O ideal é que o volume da calda seja suficiente para chegar na mesma altura das frutas, para que elas absorvam bem o sabor do licor.


Como o creme de cassis já é bem doce, não coloquei açúcar na salada (na verdade eu nunca coloco).

Pode-se usar martini, licor de laranja, de maracujá, cointreau (em menor quantidade para não ficar amargando), um vinho do porto branco, ou outra bebida doce, desde que seu sabor não seja forte demais para não brigar com as frutas.

Se for servir para crianças ou para adultos que não consomem álcool, use suco de laranja com um xarope de groselha (se o xarope for muito doce, diminua a quantidade).

A salada de frutas é aquela tradicional, que fazemos com as frutas da época, ou com as que temos em casa. Eu usei poucas frutas porque queria pouca quantidade no final. Mas aquelas saladas deliciosas cheias de frutas diferentes é perfeita!

Eu servi a salada com um pouco de iogurte natural (que substitui perfeitamente o creme de leite ou o leite condensado).

 

Agora imagina servir uma bela taça desta salada de frutas ao licor num jantar ou num almoço em família ou com os amigos? Lindo, né?



 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável. 

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Filé do porco ao molho de queijo Maroilles e purê de batatas

Eu fui convidada pela minha querida Margarida do blog Tachos vs Panelas para fazer um prato na cozinha dela, vejam só que honra!

Ela aproveitou e, enquanto eu cozinhava, fez algumas perguntas sobre mim. Se quiserem ver, podem dar uma passadinha lá no blog Tachos vs Panelas e serão muito bem recebidos. O prato que eu preparei para ela foi  este filé de porco ao molho de queijo Maroilles.

O Maroilles é um queijo de muita "personalidade", de sabor e cheiro fortes, tipico do Norte da França, fronteira com a Bélgica. Ele pode ser consumido puro, mas o mais comum é de usá-lo em receitas, onde ele é entra em molhos (como o prato que eu apresento), ou gratinado ao forno.

A receita é clássica, encontramos em todos os restaurantes típicos de Lille e do Norte da França, tanto com carne de porco, quanto com carne bovina ou mesmo frango. Todas as carnes ficam muito bem com este molho. O melhor é que ela é fácil de preparar, e impressiona todos pelo sabor.


Ingredientes:
1 peça de 500g (entre 400 e 600g) de filé mignon de porco (pode outro corte macio de carne bovina, ou peito de frango)
2 dentes de alho picados
1 cebola picada
200g de queijo Maroilles (pode trocar por um outro queijo forte, como o provolone, gorgonzola, um queijo de cabra afinado, ou outro de sua preferência)
200ml de creme de leite (eu usei um com menos gordura, uma versão light)
100mL de vinho branco seco (pode ser 100mL de cerveja, ou 50mL de um álcool mais forte como uísque, conhaque, ou até cachaça - foi o que eu usei)
azeite


Numa panela, dourar o alho no azeite. Juntar a cebola e refogar até dourar. Reservar. Na mesma panela, juntar mais um fio de azeite (se for necessário), e dispor o filé cortado em fatias. Dourar de um lado, depois do outro, para selar totalmente e manter a carne macia por dentro. Temperar com sal e pimenta do reino (cuidado, pois o queijo já é salgado). Se a panela não for grande o suficiente para todas as fatias de uma vez, dividir a carne em duas porções. Quando a carne toda estiver dourada dos dois lados, juntar na panela a cebola e o alho reservados e molhar com o vinho branco (ou outra bebida). Deixe em fogo alto para evaporar o álcool, até reduzir, por uns 5 minutos. Depois, tampar a panela, baixar o fogo e deixar cozinhar assim por mais 5 minutos.


No final, juntar o creme de leite e o queijo cortado em cubos e deixar em fogo baixo, mexendo de vez em quando até derreter completamente o queijo.


Servir com massa fresca, batatas cozidas no vapor, ou purê de batatas caseiro (foi a minha opção). Para o purê: cozinhar as batatas (do tipo que se desmancham) descascadas no vapor, passar por um espremedor de batatas. Juntar um pouco da água do cozimento das batatas (ou leite), um pouco de creme de leite, sal e noz moscada e misturar bem.


Ainda é tempo para participar da BC Comer Bem Para Viver Melhor deste mês. Os legumes escolhidos são: couve-flor e brócolis. Coloque aqui a sua receita:


terça-feira, 16 de abril de 2013

Macarrão com brócolis e bacon

Mais uma receita deliciosa com brócolis,  que é o legume do mês da nossa BC Comer bem para viver melhor. O bacon vem dar um sabor delicioso ao prato, junto com o molho branco.

Esta receita eu fui buscar no blog Panelaterapia, que todo mundo conhece. Eu confirmo que ficou delicioso.



Ingredientes:
brócolis (usei um maço de 500g, separei as flores para esta receita, usei os talos em outra receita)
200g de bacon magro picado
1 cebola picada
300 de macarrão (usei massa curta integral)
queijo para gratinar (usei 1 bola de muçarela em fatias)
farinha de rosca misturada com ervas e queijo parmesão ralado (como eu usei neste peixe com crosta aromática)

Ingredientes para o molho branco (molho bechamel):
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de farinha de trigo
500mL de leite
sal, pimenta do reino, noz moscada

Cozinhar o brócolis (somente as flores) em água com sal. Escorrer. Cozinhar o macarrão na mesma água. Misturar o brócolis com o macarrão num refratário.
Na mesma panela, refogar o bacon até dourar. Escorrer a gordura e juntar a cebola picada. Deixar dourar a cebola. Dispor o bacon e a cebola por cima do macarrão e do brócolis.
Na mesma panela, fazer um molho branco com manteiga, farinha de trigo e leite. Temperar com noz moscada, pimenta do reino e sal. O molho vai ganhar o sabor do bacon, sabe aquele restinho que ficou grudado na panela?


No refratário, cobrir tudo com o molho branco. Cobrir com queijo, depois com a farinha de rosca misturada com o queijo ralado, e levar ao forno até ficar dourado por cima.



 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...