sexta-feira, 28 de junho de 2013

Cuscuz nordestino recheado com queijo

Gente, estou de volta ao blog! Mas ainda estou voltando aos poucos. Para matar as saudades do Brasil, fiz um belo cuscuz nordestino, que eu recheei com queijo. Depois juntei um belo molho de carne com tomate ao vinho tinto (que eu mostrei aqui no blog). O prato ficou tão simples que eu nem tinha intenção de publicar aqui no blog. Mas ficou tão bonito, tão apetitoso que eu não resisti.


Concordam comigo? Não ficou de dar água na boca?

Fiz a massa do cuscuz normalmente, com duas medidas de flocos de milho e uma de água. Temperei com um pouco de sal, misturei e deixei descansar. Depois, na cuscuzeira do tipo peitinho, coloquei uma boa camada de massa, coloquei uns pedacinhos de queijo (usei queijo de cabra, mas pode ser qualquer um, de preferência um que derreta bem), e cobri com mais uma boa camada de massa, até a borda. Deixei cozinhar até passar no teste do palito.


Depois eu desenformei o cuscuz sobre um prato forrado com um molho de carne desfiada com tomate ao vinho tinto delicioso. Ficou de comer rezando.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Salada de sêmola de trigo com legumes

Mais uma salada para o verão, fresca, leve, saborosa e rápida. Ela fica perfeita sozinha, ou serve de acompanhamento para carnes grelhadas.
Por ser uma salada tão simples, quase não coloco aqui no blog. Mas resolvi colocar por causa da forma de hidratar a sêmola, que eu aprendi com uma amiga de origem marroquina, bem diferente da forma indicada na embalagem.

Na embalagem, normalmente dizem para hidratar a sêmola com o mesmo volume de água fervente, depois temperar com sal, manteiga ou azeite, aguardar alguns minutos e soltar os grãos com um garfo.

A forma marroquina é de hidratar previamente a sêmola com um pouco de água, mas não encharcá-la. E depois, levá-la para terminar de cozinhar no vapor, tradicionalmente na parte de cima da cuscuzeira (a parte de baixo é usada para cozinhar as carnes e os legumes). Assim os grãos absorvem a água aos poucos. No meio do cozimento, soltam-se os grãos com a palma das mãos. E a sêmola toda soltinha volta ao vapor para terminar de cozinhar tranquilamente.

O resultado é sentido no paladar.


sêmola de trigo ou de cevada (couscous)
passas
pepino
tomate
pimentão amarelo
limão
azeite
manteiga
salsa picada

Hidratar a sêmola com metade do seu volume de água. Deixar descansar alguns minutos. Levar para cozinhar no vapor, juntos com as passas, durante uns 20 minutos. Enquanto isso, picar os tomates (retirar as sementes), o pimentão e o pepino em cubinhos.
Retirar a sêmola do fogo (vapor), deixar esfriar um pouco. Esfarelar com a palma das mãos e colocar de volta na panela. Deixar mais uns 10 minutos no vapor. Desligar o fogo, juntar um pouco de manteiga e misturar bem, até a manteiga derreter totalmente. Deixar esfriar.
Regar os legumes picados com o suco de limão e um fio de azeite. Temperar com um pouco de sal.
Misturar os legumes com a sêmola e as passas. Salpicar com a salsa picada e levar à geladeira até o momento de servir.


Esta salada pode ser servida sozinha, ou como acompanhamento. Eu a servi com um frango grelhado, temperado com sal, pimenta do reino, alho e umas gotinhas de limão. Aproveitei e coloquei umas rodelas de cebola na grelha quente. Note-se que é uma bela salada de verão, para uma refeição leve e saborosa.


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Tartare de Salmão

Este é o segundo tartare de salmão que eu faço em casa. Confesso que foi difícil de comer peixe cru. Mas este tartare é tão bem temperado e saboroso, além de refrescante, que é difícil não gostar. Cai muito bem no verão.

O meu segredo é o óleo de gergelim para temperar o salmão. Ele confere um sabor delicioso que combina muito bem com o salmão. O abacate também combina bem o peixe, tanto salmão quanto atum. E o sabor ácido do limão quebra um pouco a textura rica e cremosa do abacate.


um pedaço de filé de salmão fresco
1 abacate
1 limão
2 tomates
óleo de gergelim
sal, pimenta do reino, pimenta de Espelette ou páprica

Amassar a polpa do abacate com metade do suco de limão. Se quiser que o resultado fique mais fino, passe no mixer. Temperar com sal e pimenta do reino. Reservar.
Com uma faca bem afiada, retirar a pele e as espinhas do peixe. Cortar o salmão em pedaços pequenos. Temperar com o restante do suco de limão, sal grosso moído e um fio de óleo de gergelim. Reservar na geladeira.
Cortar os tomates sem sementes em pedaços pequenos. Reservar.

Para a montagem, dispor um aro no prato. Arrumar uma camada de purê de abacate e alisar a superfície. Colocar uma camada de salmão, alisar. Cobrir com uma camada de tomates picados. Retirar o aro com cuidado. Regar com um fio de azeite, sal grosso moído e pimenta de Espelette (ou páprica). Arrumar umas folhinhas de salsa por cima e servir com umas torradas.


Para uma entradinha ou petisco, a montagem pode ser feita em verrines, ou copos. Igualmente chique.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Abobrinha gratinada ao salmão defumado

Por aqui o sol resolver aparecer. As temperaturas aumentaram, os pratos frios e leves são os mais pedidos. Mas de vez em quando um prato quente, igualmente leve, também é muito bem vindo. Foi o caso deste gratinado de abobrinha com salmão defumado delicioso. Fiz um dia, sem tirar fotos, e repeti a dose na semana seguinte. Compartilho hoje a receita com vocês.


Ingredientes:
2 abobrinhas parcialmente descascadas, cortadas em rodelas finas
150g de salmão defumado
4 ovos
300mL de leite
2 colheres de sopa de farinha de trigo
sal, pimenta do reino
manteiga
queijo para gratinar
farinha de rosca

Preaquecer o forno. Untar um refratário com manteiga. Arrumar a metade das fatias de abobrinha, colocar as lascas de salmão por cima e cobrir com o resto das abobrinhas. Numa tigela, bater os ovos, dissolver a farinha de trigo no leite e misturar com os ovos batidos. Temperar com sal e pimenta do reino e colocar por cima das abobrinhas. Colocar o queijo por cima e uma pouco de farinha de rosca. Levar ao forno por uns 30 minutos, até dourar.


Depois basta servir ainda quente, com uma salada de folhas verdes. Um prato quente saboroso e bem leve.

Se quiser um prato ainda mais charmoso, basta fazer a mesma receita em refratários individuais.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Salada de lentilha com castanha de caju

Para variar as refeições, costumo fazer salada com lentilhas. Esta última foi criada para levar na marmita, tornando a minha semana mais variada e mais saudável, sem abrir mão do sabor. Para melhorar a mastigação e acrescentando uma boa dose de vitamina E, juntei algumas castanhas de caju.

As castanhas são as frutas escolhidas este mês para a BC Comer Bem para Viver Melhor.

Poucos ingredientes são usados, mas a combinação resulta em um prato bem saboroso.


Ingredientes:
1 xícara de lentilhas verdes
1 folha de louro
3 tomates
1 abobrinha
1 cebola
um punhado de castanhas de caju
suco de 1 limão

Cozinhar as lentilhas numa panela com bastante água, uma pitada de sal e uma folha de louro. Quando estiverem cozidas, escorrer, retirar a folha de louro e reservar.
Cortar as cebolas em forma de meia lua, e levar ao fogo com um pouco de manteiga para dourar, em fogo baixo, mexendo de vez em quando. Quando elas estiverem grudando no fundo da panela, juntar um pouco de água e mexer, até que fiquem caramelizadas.
Cortar a abobrinha em rodelas finas. Numa panela antiaderente de fundo grosso, grelhar as fatias de abobrinha sem nenhuma gordura.
Cortar os tomates, retirar as sementes.
Numa saladeira, juntar as lentilhas escorridas e regar com o suco de limão. Adicionar as cebolas caramelizadas, as rodelas de abobrinha e os tomates picados.

Regar com um molho vinagrete feito com vinagre balsâmico, suco de limão, azeite e folhas de manjericão fresco, tudo passado no liquidificador.


Na hora de servir, salpicar castanhas de caju por cima da salada.





 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Salada grega

Recentemente, a Joana (do blog Palavras que enchem a barriga) preparou um jantar temático sobre a Grécia e serviu uma bela salada grega. Eu fiquei de olho, e resolvi fazer a minha também.

E como eu tinha em casa beterraba cozida esperando a companhia de um bom queijo feta, não pensei duas vezes em incorporá-la à minha salada. Mais uma modificação aqui e outra ali, e resultou em uma belíssima refeição.


Ingredientes:
beterrabas cozidas cortadas em cubos (usei 500g)
tomates cereja cortados ao meio (usei 200g)
pepino cortado em cubos (usei uma unidade)
queijo feta (usei 200g)
azeitonas pretas (usei 100g)
presunto picado (opcional, usei 120g)

Misturar tudo. Se quiser dar um efeito bonito como a Joana, use uma saladeira de vidro transparente e disponha os ingredientes em camadas. Fica realmente um charme.


Quando eu misturei tudo, o meu prato ficou bem colorido assim.


E eu ainda completei com um molho feito com iogurte, vinagre de framboesa e um pouco de molho pesto.


Refrescante e bem leve.



 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Salada de arroz, lentilha e atum

Mais uma saladinha, bem no clima "Lá vem chegando o verão". Além de gostosa, ela é bem nutritiva. Usei arroz e lentilha para dar uma boa sensação de saciedade. A salada foi coroada com um ovo pochê (ovo escalfado). Para mim, foi um almoço completo. Perfeita para levar na marmita (neste caso, melhor cozinhar um ovo duro).


Ingredientes:
lentilhas verdes cozidas em água com sal e uma folha de louro
arroz, cozido no caldo da lentilhas
tomate picado
milho verde
azeitonas verdes picadas
atum

Misturar todos os ingredientes. Levar à geladeira por algumas horas.


Para o molho vinagrete:
1 volume de azeite
2 volumes de vinagre (balsâmico, de vinho tinto, de maçã ou cidra, de Jerez ou qualquer outro aromático)
sal, pimenta do reino

Para servir: cozinhar os ovos (escalfados ou duros), reservar. No prato, arrumar uma salada de folhas verdes, servir a salada de lentilhas por cima, temperar com a vinagrete e finalizar com o ovo. O ovo, por sua vez, por ser temperado com páprica doce (ou pimenta de Espelette), e sal grosso moído (ou flor de sal).





 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Molho bolonhesa caseiro

Para este mês, a BC Comer Bem para Viver Melhor tem o prazer de apresentar o tomate como legume escolhido. Eu escolhi fazer um bom molho de tomate para prestar homenagem a este legume / fruta tão apreciado no mundo inteiro.
Trouxe este clássico da cozinha italiana, o molho bolonhesa. Ele foi certamente adaptado a gosto de cada região onde é consumido, no mundo inteiro.

Entre as versões prontas enlatadas e a versão tradicional feita em casa, não tem como ficar indiferente ao sabor do molho caseiro. E engana-se quem pensa que é difícil. Alguns ingredientes básicos, outros variáveis conforme o gosto do público, e a receita faz-se quase sozinha.


Ingredientes:
500g de carne moída
50g de bacon picado (melhor ainda se ele for moído, mas seu uso é opcional)
1 cebola
3 dentes de alho
2 cenoura picadas em pedaços minúsculos
1 talo de salsão picado em pedaços minúsculos
100mL de vinho branco
600g de tomates pelados picados (com o suco da lata)
água se necessário
salsa picada, orégano, manjericão (frescos)
parte verde de alho-poró (para retirar depois)
azeite, sal, pimenta do reino

Começar dourando o bacon em sua própria gordura. Se quiser, pode pular esta etapa. Reservar.
Dourar a cebola no azeite. Juntar o alho picado. Somar a carne moída e o bacon reservado. Refogar a carne até que não tenha mais nem um pedacinho vermelho. Nesta hora, juntar o vinho branco. Com o fogo alto, deixar o vinho evaporar. Juntar a cenoura e o salsão bem picadinhos e misturar bem. Juntar os tomates pelados picados, e o suco da lata (se usar tomates frescos, juntar um pouco de água). Juntar a parte verde do alho-poró e deixar o molho cozinhando tranquilamente. Mexer de vez em quando, e olhar se a água não secou. Uma parte da água vai evaporar, é normal, o molho vai ficar mais encorpado. Depois de um hora ou mais no fogo (lembrar de deixar o fogo baixo), retirar a parte verde do alho-poró, juntar o manjericão, o orégano e a salsa, tudo bem picadinho, e desligar.

Este é o tipo de prato que é ainda melhor quando feito na véspera. Então pode deixar o molho descansando na geladeira, e sirva no dia seguinte com um prato de macarrão e bastante queijo parmesão ralado. Eu usei espaguete. Ficou bem caprichado e delicioso, nem se compara ao molho comprado pronto.



 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Tomate - 11/06 ao 17/06: BC Comer Bem para Viver Melhor

Blogagem Coletiva Comer Bem para Viver Melhor deste mês traz como legume o Tomate.

O tomate é o fruto do tomateiro (Solanum lycopersicum; Solanaceae). De sua família, fazem também parte as berinjelas, as pimentas e os pimentões, além de algumas espécies não comestíveis. Originário das Américas Central e do Sul, era amplamente cultivado e consumido pelos povos pré-colombianos, sendo atualmente cultivado e consumido em todo o mundo.

Apesar de constantemente associado à cozinha da Itália, dado seu largo uso na sua culinária italiana, o tomate já era primordialmente consumido nas civilizações inca, maia e asteca antes de ser levado para a Europa. Pertence a um extenso rol de alimentos da América pré-colombiana desconhecidos do Velho Mundo antes das grandes navegações, do qual fazem parte o milho, vários tipos de feijões, batatas, frutas como abacate e o cacau (de cujas sementes se faz o chocolate), afora artigos de uso nativo que se difundiram, como o chicle (seiva de Sapota (ou sapoti)) e o tabaco.
Inicialmente, o tomate era tido como venenoso pelos europeus e cultivado apenas para efeitos ornamentais, supostamente por causa de sua conexão com as mandrágoras, variedades de Solanáceas usadas em feitiçaria.

O consumo do tomate é recomendado pelos nutricionistas por ser um alimento rico em licopeno (média de 3,31 miligramas em cem gramas), vitaminas do complexo A e complexo B e minerais importantes, como o fósforo e o potássio, além de ácido fólico, cálcio e frutose. Quanto mais maduro, maior a concentração desses nutrientes.

O tomate é composto principalmente de água, possuindo, aproximadamente, catorze calorias em cem gramas, somente. Alguns estudos comprovam sua influência positiva no tratamento de câncer, pois o licopeno, pigmento que dá cor ao tomate, é considerado eficiente na prevenção do câncer de próstata e no fortalecimento do sistema imunológico.

De 1986 a 1998, a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, analisou os hábitos de 50 000 homens. Segundo os resultados da pesquisa, os homens que consumiam molho de tomate duas vezes por semana tiveram 23 por cento menos incidência de câncer do que outros. A pesquisa concluiu, ainda, que os benefícios podem ser maiores caso o tomate seja cozido, acompanhando um pouco de azeite.

Alla bolognesa, à espanhola, à mexicana, à la marselhesa, alla napolitana, alla parmigiana, à la orientale, à la niçoise, à portuguesa e à la provençale são apenas algumas das infinitas receitas que adotaram o fruto como ingrediente; uma lista que não para de se renovar.

Fonte: Wikipédia.

Olha só tudo o que já foi publicado com tomate aqui no blog:

Quer participar da BC? Basta publicar uma receita com tomate do dia 11 ao dia 17 de maio, ou então nos mandar o link de uma receita com tomate já publicada no seu blog.

Aguardamos a participação de vocês do dia 11 ao dia 17 de junho!



 

Organização da BC  Comer bem para viver melhor: eu mesma Kati, a Josy, a Ana Cláudia e a Margarida, em campanha para uma alimentação mais saudável.

Gente, resolvi voltar aos poucos para o blog. O tempo anda curto, mas vou tentar passar aqui de vez em quando para publicar alguma coisa. A minha cozinha anda muito calma ultimamente, sem muita atividade, por isso passei um tempo sem publicar nada.

Em breve, voltarei a visitar os blogs vizinhos. Até mais.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...